Condenado e réu em ação penal, prefeito de Betim (MG) inaugura obra em Pernambuco

O empresário Vittorio Medioli afirmou ao MPF que se licenciou do grupo, mas participa de festa no Nordeste, deixando os munícipes de Betim aos cuidados do vice-prefeito.

Condenado pela 1ª instância da Justiça Federal de Minas Gerais por enviar e manter recursos no exterior sem autorização, o empresário Vittorio Medioli, prefeito de Betim, inaugurou o complexo da Sada Transportes e Armazenagens em Goiana-PE na manhã de terça-feira, 19. O CEO do grupo econômico também é réu em ação penal movida pelo Gaeco de São Bernardo do Campo-SP, acusado de formação de cartel e de quadrilha. Nem por isso, deixou de participar de jantar oferecido pelo governador Paulo Câmara, que se nega a receber os legítimos cegonheiros pernambucanos.

governador-e-medioli4
Governador jantou com Medioli, mas se recusa a receber cegonheiros pernambucanos.

Ao contrário do que disse em depoimento ao Ministério Público Federal de São Bernardo do Campo, quando afirmou que havia se licenciado da empresa, Medioli, apesar de ter sido eleito para administrar Betim, continua participando de assembleias da Sada Participações, conforme documento arquivado na Junta Comercial de São Paulo. Agenda do prefeito-empresário revela que ele desembarcou em Pernambuco na segunda-feira.

Sob o comando de Medioli, a Sada tem chancelado embates judiciais que visam a execrar os legítimos cegonheiros de Pernambuco. A categoria tenta participar do escoamentoda produção da Fiat/Jeep no Estado. Está mobilizada há 50 dias. Em uma ação com pedido de liminar, a Sada chegou a peticionar informando endereço falso, o mesmo da Fiat/Jeep, a fim de conduzir o juízo a erro. Com o apoio oficial do governador Câmara, o CEO está impedindo o Estado de Pernambuco de arrecadar cerca de R$ 140 milhões por ano em impostos, já que os atuais cegonheiros (empresários) agregados são oriundos de Minas Gerais e São Paulo.