Justiça impede tentativa da Sada de acabar com mobilização de cegonheiros pernambucanos

Oficial de Justiça testemunhou que manifestação é pacífica e que ocorre distantes dos portões da empresa autora.

A juíza Maria do Rosario Arruda de Oliveira, da 1ª Vara Cível da comarca de Goiana-PE, prolatou, na segunda-feira (18/09), novo despacho na ação movida pela mineira Sada Transportes e Armazenagens contra cegonheiros pernambucanos. Agora, a magistrada, que havia determinado a imediata saída dos manifestantes, afirmou que a BR-101, onde estão estacionados os cegonheiros que querem fazer parte do escoamento da produção da Fiat/Jeep, “é uma rodovia federal, cabendo à Justiça (Federal) competente a análise do pedido”.

De acordo com a magistrada, o oficial de Justiça conferiu que a movimentação era pacífica e que ocorre distante dos portões da empresa autora (Sada). Em novo pedido, a empresa de Minas Gerais, acusada de formação de cartel no setor de transporte de veículos novos, “apresenta fotografias de caminhões estacionados ao longo do acostamento da BR-101, em consonância com a certidão do oficial de Justiça”. A juíza Maria de Oliveira considerou que medida previa a retirada dos caminhões-cegonha, limitando-se às imediações da empresa autora.

Na ação, a Sada informou o endereço da fábrica da Fiat/Jeep (que traiu os cegonheiros pernambucanos) como sendo o da empresa, com a finalidade de conduzir o juízo ao erro, alegando que os manifestantes estavam prejudicando os trabalhos desenvolvidos para a montadora. A magistrada ordenou nova diligência para confirmar o cumprimento da decisão liminar.