Dono da Sada processa Pastor Eurico por calúnia

O dirigente máximo do grupo Sada, Vittorio Medioli, apresentou queixa-crime no Supremo Tribunal Federal, em 14 de setembro, contra o deputado federal Pastor Eurico (PHS/PE). Medioli alega ter sido vítima de crime contra a honra e atribui ao parlamentar pernambucano a prática do delito de calúnia.

O principal diretor executivo do grupo Sada e atual prefeito de Betim, município da Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG), aponta “manifesto abuso do exercício da liberdade de expressão”. Segundo a petição assinada pelos advogados de Medioli, Pastor Eurico ofendeu a honra do empresário e político mineiro, ao referir-se a ele com a expressão “chefe de uma máfia”.

O parlamentar ainda comparou o grupo Sada à JBS e chamou as empresas de Medioli de “organização criminosa”. O discurso de Pastor Eurico foi proferido no Plenário da Câmara dos Deputados, em 16 de agosto. Por ter prerrogativa de foro privilegiado, o político pernambucano está sendo processado no Supremo.

Em 22 de setembro, a ministra Rosa Weber determinou que Eurico apresente por escrito uma resposta à queixa-crime. O prazo de 15 dias se encerra no final desta semana.