Sinaceg confirma vínculo operacional com a Bonança

Revista confirma vínculo operacional entre a Bonança Transportes Logísticas Importação e Exportação e o Sindicato Nacional do Cegonheiros (ex-Sindicam). A entidade, agora denominada Sinaceg, já foi condenada por formação de cartel e é considerada o braço político da organização criminosa que controla o mercado de transporte de veículos novos no País, segundo investigações do Ministério Público Federal e da Polícia Federal. Na última edição do boletim informativo editado pelo site Livre Concorrência, Hamilton Oliveira, um dos sócios da Bonança, negou acordo com o Sinaceg.

texto_bonanca
A foto acima mostra a equipe da Bonança em estande na 19ª Expo de Transporte do ABCD. O texto foi publicado na Revista Cegonheiro.

Em setembro, a Revista Cegonheiro abordou a participação da Bonança na 19ª Expo de Transporte do ABCD. A matéria de meia página apresenta a transportadora de São Caetano do Sul como “uma empresa que passou a ser procurada para participar de novos mercados”. “A Recente parceria com o Sindicato Nacional dos Cegonheiros visa a viabilizar novos negócios”, revelou o texto. A Bonança também foi descrita como uma empresa que está investindo na ampliação da frota. Tanto a revista quanto a feira são iniciativas organizadas pelo próprio Sinaceg.

Venda de vagas
A Bonança também foi tema da última edição do boletim informativo editado pelo site Livre Concorrência. Na reportagem intitulada “Cartel usa empresa endividada para ampliar controle sobre mercado de cegonhas”, a transportadora aparece em esquema de venda de vagas para escoar veículos da GM e Volkswagem. Cada vaga foi anunciada por R$ 250 mil.

Oliveira negou participação na oferta de vagas e assegurou que “estão usando indevidamente o nome da empresa.” Ele também rechaçou qualquer acordo operacional com o Sinaceg e o Sindicato dos Cegonheiros do Rio Grande do Sul (Sintravers). A bonança enfrenta dificuldades financeiras. A empresa chegou a ter o bloqueio judicial de recursos da ordem de R$ 2,2 milhões. Ainda assim, a revista do Sinaceg afirma que a empresa está ampliando a frota.

Políticos na estrada
Recentemente, o deputado federal Jones Martins conquistou uma vaga para fazer fretes de máquinas pesadas para a Bonança. Martins é amigo de Jefferson Casagrande, presidente do Sintravers. Esse não é o único caso de político gaúcho trabalhando no setor. O prefeito de Gravataí, Marco Alba, possui três caminhões-cegonha. A cidade é sede da General Motors no Rio Grande do Sul. Ambos são do PMDB do Rio Grande do Sul.