Sindicam utiliza representantes de outras categorias para bloquear Volkswagen

O Sindicato dos Rodoviários do ABC (Sintetra) aderiu ao cerco à montadora Volkswagen do Brasil, em São Bernardo do Campo, e está auxiliando cegonheiros e líderes sindicais associados ao Sindicato dos Cegonheiros de São Paulo (Sinaceg- ex-Sindicam) a bloquear os portões dos pátios da empresa.

A exemplo do que acontece desde 29 de novembro, ao longo desta segunda-feira nenhum caminhão-cegonha foi visto entrando ou saindo dos pátios da montadora. Nos portões da avenida Maria Servidei Demarchi e da Rua Antônio Francisco Zanellato, no bairro Terra Nova, pequenos grupos de cegonheiros e integrantes do Sintetra impediam a entrada e saída de cegonhas, conforme mostra foto de abertura desta matéria.

Um manifestante explicou a razão do protesto, segundo o ponto de vista dele:

“A empresa quer tirar nosso trabalho e estamos aqui para mostrar que não vamos deixar isso acontecer.”

O bloqueio da Volks foi deflagrado por empresas e entidades ligadas ao cartel que controla o transporte de veículos novos no País. O objetivo é impedir a contratação de transportadoras que não participam do esquema de alinhamento de preços superfaturados dos fretes e das constantes violações aos princípios da livre concorrência.

O Sinaceg está no comando da manifestação, ao lado do ex-presidente da entidade Aliberto Alves. A ação orquestrada pela entidade paralisou o transporte das três unidades da Volkswagen. O Sinaceg não assume o comando da manifestacão porque está proibido por sentença condenatória da Justiça Federal de participar de mobilizações em todo o País.

Procurada novamente, a VW não se manifestou nesta segunda-feira. Por meio da assessoria de imprensa, na sexta-feira, preferiu repassar a informação: “As operações de transporte acontecem normalmente.”

Cobradores e motoristas de ônibus estão infiltrados nos piquetes que bloqueiam fábricas da Volkswagen
O Sintetra, entidade voltada para defesa dos direitos de funcionários de empresas de transporte urbano do ABC paulista, informou que está apoiando o movimento desde a última sexta-feira. A paralisação no transporte de veículos novos atinge duas unidades da Volkswagen no Estado de São Paulo e uma no Paraná.

O que cegonheiros comentam é que a entrada do Sintetra na manifestação foi pedida pelo Sinaceg. A paralisação ocorre na fase final da cotação de preços (BID) realizada pela Volkswagen e pode garantir preços menores para o transporte de veículos. Porém, as empresas que atualmente prestam o serviço se recusam a entregar as cargas.