A grande imprensa e a submissão ao poder econômico

É de envergonhar qualquer jornalista sério a postura acovardada dos veículos de comunicação social integrantes da chamada grande Imprensa brasileira. Ontem, ao ler a notícia veiculada pelo portal G1 sobre a manifestação feita pelos cegonheiros pernambucanos que buscam o direito de escoar parte da produção da Fiat/Jepp (montadora que abocanhou mais de R$ 5 bilhões em incentivos fiscais), senti-me envergonhado.

É escandalosa a submissão da grande imprensa brasileira ao poder econômico concentrado por montadoras de veículos e suas redes de concessionárias: uma verba publicitária incalculável, capaz de impedir que telespectadores ou leitores possam ter acesso às informações completas, sérias.

Eis que na notícia veiculada pelo portal G1, o texto omite que o protesto é contra a Fiat/Jepp que optou por contratar transportadores de Minas Gerais e de São Paulo, em detrimento aos profissionais pernambucanos. Esconde da opinião pública que a montadora, agindo dessa forma, participa de um conluio condenável sob qualquer aspecto, inclusive econômico, com as transportadoras acusadas (sua entidade a ANTV foi extinta por determinação da Justiça Federal) de formação de cartel no setor de transporte de veículos novos, principalmente a Sada Transportes e Armazenagens.

Medioli será julgado dia 28 por formação de cartel e de quadrilha
A notícia, incompleta, não menciona que a Sada é de propriedade do prefeito de Betim, Vittorio Medioli, que será julgado na próxima quarta-feira (28) por crimes contra a ordem econômica, no Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

Inaceitável e inadmissível que ainda hoje, mesmo frente ao forte noticiário referente a Lava-Jato, os veículos de comunicação da grande imprensa ainda permaneçam submissos ao poder econômico dos anunciantes em potencial. Em nome do jornalismo sério, precisamos mudar o atual quadro. E com urgência, levando à opinião pública a notícia completa, em sua totalidade.

Cegonheiros bloquearam fábrica da Volks por 15 dias e a imprensa ignorou o fato
Em dezembro do ano passado, cegonheiros vinculados à mesma organização criminosa que continua controlando o chamado mercado dos cegonheiros paralisou a Volkswagen do Brasil por quase 15 dias. Nenhum integrante da grande imprensa noticiou. Por qual motivo? Pelo poder econômico (entenda-se anúncios) das montadoras.

Fiquem atentos para quando houver a divulgação, por exemplo, de algum acidente envolvendo os chamados caminhões-cegonha. A notícia levada à opinião pública pela grande imprensa omite, vergonhosamente, a empresa para a qual trabalha o “cegonheiro” e a marca dos veículos que estavam sendo transportados. Uma vergonha, difícil de ser escondida para quem vive o jornalismo sério. O poder econômico influenciando decisivamente na consolidação de uma notícia completa. Que pena !

Ivens Carús – Editor