Cegonheiros pernambucanos fazem novo protesto contra monopólio da Sada na FCA/Fiat

Cegonheiros de Pernambuco filiados ao Sintraveic realizaram nesta quinta-feita, 23, nova manifestação contra o monopólio no escoamento da produção dos veículos fabricados pela FCA/Fiat, de propriedade do atual prefeito de Betim-MG, Vittorio Medioli, em parceria com a Autoport. Atualmente esse transporte é executado por cegonheiros mineiros e paulistas agregados às duas empresas.

Com cerca de 25 caminhões-cegonha (apenas cavalo mecânico), o grupo deixou as margens da BR-101, nas proximidades da montadora, onde estão há 207 dias, e deslocou-se em carreata pelas principais vias de Recife. A concentração aconteceu no Centro de Convenções, segundo o presidente da entidade,  Milton Freitas. A seguir circulou pelo Centro, passando pelo Palácio Campo das Princesas e chegou ao Aeroporto Internacional do Recife-Guararapes.

Descumprimento do acordo
A principal queixa dos cegonheiros pernambucanos é quanto ao descumprimento do programa Prodeauto, firmado entre o governo do Estado de Pernambuco e a FCA/Fiat. Alegam que no documento está prevista a contratação de transportadores do estado para também operarem no escoamento da produção, o transporte dos veículos fabricados pela montadora. Mas tanto o governador Paulo Câmara quanto a Fiat se negam a falar sobre a questão.

Em protesto há mais de 200 dias, o grupo de cegonheiros sofreu perseguição política por parte do governo do Estado e da prefeitura do Recife. Os dois entes chegaram a ajuizar ação judicial para impedir o protesto pacífico dos cegonheiros. No ano passado, eles tiveram de abandonar o centro de Recife onde estavam estacionados. Seguiram para a praia da Boa Viagem, de onde foram novamente retirados por ordem da Justiça. Logo em seguida, montaram acampamento na BR-101, nas imediações da montadora italiana onde permanecem até hoje.