Pastor Eurico troca de partido mas mantém bandeira contra cartel dos cegonheiros

O deputado federal Pastor Eurico (Patriota-PE) voltou a criticar o cartel que controla o transporte de veículos novos no País. Para uma plateia que lotou as dependências do Clube Português, em Recife, ele afirmou que os cegonheiros pernambucanos “sofrem com a perseguição impetrada pelo sistema cartelista” que atua no segmento. A declaração foi dada na cerimônia de filiação do parlamentar ao partido Patriota, em 4 de abril.

Em seu discurso, Pastor Eurico reiterou que a ação do cartel afronta a dignidade e a autonomia dos pernambucanos e prejudica os profissionais daquele Estado que trabalham no transporte de veículos novos. O deputado refere-se ao monopólio exercido pelo grupo Sada na fábrica da Fiat/Jeep instalada em Goiana. Atualmente, os 179 mil veículos produzidos pela montadora construída na região metropolitana de Recife são integralmente transportados por pessoas jurídicas de São Paulo e Minas Gerais controladas pelo grupo Sada, cujo dono, o empresário e político mineiro Vittorio Medioli, é acusado de chefiar a associação criminosa que domina o setor, conforme inquérito da Polícia Federal.

Pastor Eurico reafirmou que mantém negociações com o governador Paulo Câmara para resolver a situação:

“Quero registrar aqui que já estive com o governador. Ele tem se colocado à disposição para tratar desse assunto. Estamos tentando ver uma saída para esse problema que se agrava.”

A reportagem do site Livre Concorrência perguntou ao deputado a razão que o levou a diminuir a intensidade e a frequência das críticas dirigidas ao cartel. Ele já chegou a comparar o grupo Sada à JBS, em alusão ao monopólio e ao esquema bilionário de pagamento de propina a políticos em que o maior frigorífico do Brasil envolveu-se. Sobre o arrefecimento dos ataques e também sobre o progresso das negociações com a diretoria da Fiat, Pastor Eurico respondeu:

“Nem sempre devemos dar munição aos inimigos. O silêncio não significa que estamos parados.”

No encerramento da cerimônia de filiação, o parlamentar explicou um pouco mais a nova postura:

“Eu já disse aos senhores que sou da paz. E pela paz a gente luta até o fim.”

Várias autoridades compareceram ao evento. O governador Paulo Campos foi representado por João Campos, chefe de gabinete do Governo.