Cegonheiros pernambucanos voltam às ruas da Grande Recife para denunciar descumprimento do Prodeauto

Os cegonheiros pernambucanos que estão mobilizados nas imediações da fábrica da Fiat/Jeep, em Goiana, voltaram às ruas da Grande Recife nessa terça-feira (24) para protestar contra o descumprimento do Programa de Incentivo Fiscal do Setor Automotivo de Pernambuco (Prodeauto), assinado entre o governo do estado e a montadora. Eles afirmam que no acordo está prevista a contratação de transportadoras locais para escoar a produção da Jeep.

Ao todo, cerca de 40 caminhões-cegonha percorreram ruas e avenidas. A manifestação causou congestionamentos. A mobilização dos cegonheiros já dura nove meses. Atualmente eles estão concentrados próximo à planta da montadora, instalada em Goiana.

O retorno à capital do estado tem por objetivo pressionar o governador Paulo Câmara, que prometeu, no mês passado, uma solução ao conflito. O presidente do Sindicato dos Cegonheiros de Pernambuco (Sintraveic-PE), Milton Freitas, explicou o motivo da estratégia:

“Sabemos que o governo teve um encontro em Brasília-DF com representantes da Fiat Chrysler Automóveis (FCA). O prazo pedido que era de 10 dias, hoje já passa dos 30 dias sem solução. O Prodeauto é lei e deve ser cumprido.”

O transporte dos automóveis produzidos pela Jeep no nordeste é realizado por duas empresas do sudeste do país. A Sada, a maior delas, pertence a Vittorio Medioli, atual prefeito de Betim (MG). O empresário e político de Minas Gerais é acusado de chefiar a associação criminosa que domina o transporte de veículos novos no país, conforme inquérito da Polícia Federal que tramita no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

A partir de amanhã, a manifestação dos cegonheiros percorrerá cidades da Grande Recife. Confira o roteiro:

Jaboatão (quarta-feira, 25)

Gravatá e Bezerros (quinta-feira, 26)

Caruaru (sexta-feira, 27)

Garanhuns (segunda-feira, 30)

Surubim (terça-feira, 1º/5)

Carpina (quarta-feira, 2/5)