Cade decide acabar com o monopólio do refino de petróleo no Brasil

Há males que vêm para bem. Os estragos na economia causados pela paralisação dos caminhoneiros levou o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) a enfrentar o monopólio do refino de petróleo.

O órgão criou um grupo para acabar com esse poderoso monopólio estatal. A concentração do refino de petróleo é responsável pelos altos preços dos combustíveis no Brasil. Lauro Jardim, em O Globo, revela que em setembro o grupo determinará quantas refinarias a Petrobras terá de vender.

O jornalista também informa que o monopólio do refino nos EUA teve fim em 1911, quando a Suprema Corte tomou uma decisão histórica: obrigou que a Standard Oil, então detentora de 85% do refino americano, vendesse todas as suas refinarias.

Outros cartéis devem ser enfrentados
Onde existe vida, existe esperança. Espera-se que o Cade também decida enfrentar monopólios e cartéis privados. Um deles é o cartel dos cegonheiros. Poucas transportadoras, apoiadas por sindicatos de aluguel, concentram 95,59% do mercado bilionário de transporte de veículos novos. As montadoras contribuem para esse quadro se perpetuar. Só em 2017, essa associação criminosa retirou da economia, sobretudo dos consumidores, mais de R$ 1,4 bilhão. Desde 1997, o ágio imposto aos consumidores custou R$ 10,5 bilhões.

Foto: Divulgação/Petrobras