Cade prorroga pela 9ª vez consecutiva inquérito sobre ações do cartel dos cegonheiros

Pela nona vez consecutiva, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) prorrogou o inquérito administrativo que investiga ações da associação criminosa que controla o setor de transporte de veículos novos no país. Desde que se iniciou a tramitação, em 16 de fevereiro de 2016, sob a alegação das “circunstâncias do caso concreto”, o órgão antitruste vem prorrogando o andamento do procedimento, sempre 60 dias a cada ato. A denúncia de possível acordo em detrimento da livre concorrência, entre as empresas Tegma, Gestão Logística, Brazul Transporte de Veículos, Transcar Transportes e Sindicato dos Cegonheiros do Espírito Santo, anda a passos lentos.

O andamento do inquérito teve o acréscimo de fatos ocorridos durante a contratação da Transilva Log pela importadora Kia Motors. Foi levado ao conhecimento do Cade pela Procuradoria da República de São Bernardo do Campo-SP. Até agora a única decisão da autoridade antitruste foi no sentido de favorecer uma das representadas, a Brazul Transporte de Veículos, única empresa que obteve autorização para acessar ao chamado apartado restrito. Outros dois interessados que solicitaram, tiveram o pedido negado pelo Cade, o que comprova a ausência de tratamento isonômico.