MPF pede ao Cade condenação de multinacionais de frete por formação de cartel

Quem sabe um dia o que vale para fretes marítimos e aéreos também possa ser útil no combate ao cartel que domina o transporte de veículos novos. Recentemente, o Ministério Público Federal (MPF) pediu ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) a condenação de sete multinacionais de logística. As empresas, segundo o órgão ministerial, são acusadas de formação de cartel no mercado de agenciamento de frete aéreo e marítimo. A decisão do MPF foi apresentada em 18 de julho.

Em outubro de 2017, a Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) já recomendara, em despacho publicado no Diário Oficial da União, a condenação das empresas investigadas e da Associação Brasileira das Empresas de Transporte Internacional (Abreti). Oito pessoas físicas também integram o processo.

As evidências revelaram que as empresas – seja por intermédio da associação, ou por conversas entre seus executivos – combinaram entre si o repasse simultâneo dos custos do serviço aos clientes, com consequências diretas nos preços de taxas referentes ao transporte de cargas.

O caso deve ir a julgamento pela autoridade antitruste ainda em 2018 e a condenação pode chegar a 20% do faturamento das empresas no ano anterior ao da abertura do processo.