Pastor Eurico volta a criticar ação do cartel dos cegonheiros em Pernambuco

Depois de quatro meses de silêncio, o deputado federal Pastor Eurico voltou às redes sociais para manifestar apoio aos cegonheiros pernambucanos e criticar o cartel que controla o transporte de veículos novos em Pernambuco. Em vídeo gravado na semana passada, no acampamento que manifestantes mantém próximo à fábrica da Fiat/Jeep, em Goiana (PE), o parlamentar disse que a categoria está enfrentando “um gigante”.

“A luta continua. As sentenças (a favor dos profissionais pernambucanos) estão sendo dadas. Eles estão recorrendo. Não queremos briga. Queremos que o direito dos cegonheiros de Pernambuco seja atendido.”

Leia mais sobre decisão da Justiça Federal de Pernambuco que determina abertura do mercado de transporte de veículos novos na Fiat/Jeep.

Pastor Eurico ressaltou que a mobilização é pacífica. E denunciou:

“Teve carreta queimada aqui pelo esquema cartelista, pelos mafiosos.”

Também adiantou:

Estamos juntos nessa luta e não vamos parar. Não tem dinheiro que tire a gente dessa luta. Essa luta é por algo sério, correto e dentro da legalidade.” 

Entenda o caso
A principal queixa dos cegonheiros pernambucanos é quanto ao descumprimento do programa Prodeauto, firmado entre o governo do Estado de Pernambuco e a FCA/Fiat. Alegam que no documento está prevista a contratação de transportadoras pernambucanas para também operarem no escoamento da produção da Jeep.

Até o momento, os 179 mil automóveis fabricados por ano pela Jeep são integralmente transportados por pessoas jurídicas de São Paulo e Minas Gerais controladas pelo grupo Sada, cujo dono, o empresário e político mineiro Vittorio Medioli, é acusado de chefiar a associação criminosa que domina o transporte de veículos novos no Brasil, conforme inquérito da Polícia Federal.