BMW, Mercedes e VW são acusadas de conluio na União Europeia

Revelação feita pelo site português Automais mostra que o órgão anticartel da União Europeia acusou formalmente, na semana passada, BMW, Daimler e Volkswagen de terem feito acordo para bloquear o lançamento de novas tecnologias de limpeza de gases poluentes. A violação resultou em ação que pode originar a aplicação de pesadas multas. No ano passado, o Ministério Público Federal alemão recebeu denúncia contra a Volkswagen por participação em cartel no Brasil. Este assunto está sob investigação.

Segundo a acusação da Comissão Europeia, o conluio ocorreu entre 2006 e 2014 e aconteceu durante reuniões técnicas entre os construtores. 

O site publicou:

“Não bastava o Dieselgate e todas as trapalhadas com o WLTP – recordamos que as marcas foram acusadas de explorar ao máximo o sistema para tentar alargar prazos e limites de emissões – eis que novo escândalo eructe, com a Comissão Europeia a divulgar o envio de declarações de objeção para aquelas empresas onde seguiram as acusações, dois anos depois de buscar efetuadas nas sedes dos grupos visados.”

Num comunicado, a comissária para a concorrência da Comissão Europeia, Margrethe Vestager, escreveu:

“Daimler, VW e BMW podem ter quebrado as regras europeias da concorrência. Em resultado disso, os consumidores podem ter visto ter-lhes sido negada a oportunidade de comprar automóveis com a mais recente e melhor tecnologia existente.”

As multas aplicadas pela União Europeia podem chegar a 10% do valor total de lucro apurado por cada empresa.