Em nota, Tegma tenta acalmar acionistas sobre mandados de buscas e apreensões na unidade de São Bernardo do Campo

Um dos alvos da Operação Pacto, a Tegma Gestão Logística emitiu nota para informar os acionistas sobre a ação da Polícia Federal (PF) deflagrada na manhã desta quinta-feira na unidade da empresa em São Bernardo do Campo. Agentes da PF, em conjunto com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO-MP/SP) e Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), também cumpriram mandados de busca e apreensão em Betim (MG), Simões Filho (BA) e Serra (ES), além de Santo André e São Bernardo do Campo, na região do ABC Paulista.

Há mais de um ano, os agentes investigam esquema de formação de cartel no setor de transporte de veículos novos. O segmento é controlado por uma organização criminosa conhecida por cartel dos cegonheiros. Existem outros inquéritos sobre a ação desse grupo, inclusive com indiciamentos de empresários por formação de cartel e de quadrilha.

No texto emitido pela Tegma, intitulado “Fato relevante – Busca e apreensão de material”, a transportadora investigada escreveu:

“A TEGMA GESTÃO LOGÍSTICA S.A. vem comunicar aos acionistas e ao mercado em geral que, na manhã de hoje 17/10, foi realizada uma busca e apreensão de material nas unidades da Companhia em São Bernardo do Campo pela Polícia Federal, em conjunto com o GAECO (Grupos de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) e com a colaboração do CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica).”

E concluiu:

“Informaremos assim que tivermos detalhes relevantes sobre o assunto.”

A nota é assinada pelo diretor-presidente e de relações com investidores da Tegma, Gennaro Odone,