Dirigentes de sindicato condenado por formação de cartel tomaram posse em órgão técnico do Contran

Dirigentes do Sindicato Nacional dos Cegonheiros (Sinaceg) tomaram posse em 25 de novembro na Câmara Temática de Transporte Rodoviário (CTTR), órgão técnico vinculado ao Conselho Nacional de Trânsito (Contran). A inscrição da entidade paulista que se autointitula nacional foi deferida para participar de sorteio público que definiu os integrantes da CTTR. O processo de seleção parece ter ignorado o fato de o Sinaceg já ter sido condenado por formação de cartel no transporte de veículos novos. A sentença foi proferida pela Justiça Federal.

Desde 2002, o Sinaceg, subordinado a grandes transportadoras, enfrenta processos nas Justiças federal e estaduais.

A entidade segue sendo investigada e já foi condenada por:

1 – Realizar práticas cartelizantes (alinhamento de preços e divisão de mercados).
2 – Abuso de poder econômico.
3 – Usar mecanismos de intimidação e retaliação para quem descumprir acordo firmado entre ANTV e Sinaceg.
4 – Fomentar condutas uniformes entre concorrentes.
5 – Utilizar as agremiações como fórum de discussões de informações concorrenciais sensíveis.

Sorteio
O sorteio para escolher os membros foi realizado pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e ocorreu em 16 de outubro. Elias Fazan e Márcio Galdino da Silva vão contribuir com o conhecimento adquirido no Sinaceg para oferecer sugestões e embasamento técnico nas decisões do CTTR. O mandato da dupla vai até 2021.

O presidente do Sindicato dos Cegonheiros de Goiás (Sintrave-GO), Afonso Rodrigues de Carvalho, o Magayver, lembrou que Elias Fazan era vice-presidente do Sinaceg, quando a entidade e o então presidente Aliberto Alves foram condenados por formação de cartel. Alves foi condenado em ação penal.