Ex-secretário de Direito Econômico do Ministério da Justiça alerta para risco de fechamento de mercado no setor de transporte de valores

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) passou a apurar mais uma compra da Prosegur, multinacional espanhola que detém 50% do mercado de transporte de valores no Brasil. O alvo é a aquisição da Sacel Serviços de Vigilância e Transporte de Valores, maior empresa de carros-fortes de Sergipe. Para o advogado José Del Chiaro, ex-secretário de Direito Econômico do Ministério da Justiça e sócio-fundador da Advocacia José Del Chiaro (foto de abertura), a decisão é correta. Ele lembra que a Prosegur fez um IPO (oferta inicial de ações) na bolsa da Espanha em 2017 prometendo retorno alto em razão da intenção de crescer por meio de aquisições. O advogado alerta:

“Vale dizer que ocorrerá fechamento de mercado.”

E acrescenta:

“É importante notar o grande impacto de custos que o transporte de valores impõem aos supermercados, farmácias e ATMs (caixas eletrônicos), agravando diretamente não só as empresas como os consumidores.”

E conclui:

“É um mercado que merece toda atenção do Cade para que de fato possa existir competição, pois apenas a concorrência diminuirá o poder de imposição de preços elevados pelas três maiores transportadoras do País.”

Em 30 dias, segundo decisão do Tribunal do órgão antitruste,  ao analisar recurso impetrado pelas duas empresas, mas não provido, Prosegur e Sacel terão que apresentar documentos e notificar o Cade sobre a transação.

A conselheira-relatora do caso, Paula Azevedo,  lembrou que a multinacional espanhola acumulou nos últimos 15 anos 10 aquisições.