Corpo de Bombeiros identifica evidências de incêndio criminoso em pátio de transportadora de Vittorio Medioli

 

Corpo de bombeiros do Estado de São Paulo identifica indícios de que incêndio no pátio da Brazul foi criminoso. Segundo o capitão Marcos Palumbo, porta-voz da corporação, foram encontrados dois pontos de origem do fogo. Isso, segundo ele, é um indício de que o incêndio possa ser criminoso, informou o site Agora São Paulo, do Grupo Folha de São Paulo.

O oficial esclareceu:

“Foram localizados dois pontos simultâneos, a uma grande distância um do outro. Em casos não criminosos [de incêndio], geralmente é identificado um ponto apenas.”

Ao todo, 15 caminhões-cegonha e 80 carros foram destruídos no pátio da Transportadora Barzul, empresa do grupo Sada, cujo proprietário é o político e empresário Vittorio Medioli.

O ataque ocorreu na madrugada de segunda-feira. O crime pode estar ligado a uma represália de cegonheiros afastados das transportadoras Tegma (um dos alvos da Operação pacto, deflagrada em 17 de outubro do ano passado) e Brazul. Os incêndios criminosos no transporte de veículos novos são práticas recorrentes do chamado cartel dos cegonheiros, segundo inquérito aberto pela Polícia Federal. Caminhões de transportadoras concorrentes ou cargas de montadoras que “ousam” contratar empresas independentes são os principais alvos dessa organização criminosa que atua em todo o país. O cartel dos cegonheiros controla mais 90% dos fretes do setor.

O site Livre Concorrência fez contato com a Brazul, mas não obteve resposta. O estrago causado pelos criminosos pode ser conferido no vídeo de abertura encaminhado à redação do site Livre Concorrência. O original tem mais de sete minutos de duração.