Líder sindical diz que Sinaceg assumiu autoria dos incêndios criminosos e pede intervenção das autoridades

O presidente do Sindicato dos Cegonheiros de Goiás (Sintrave-GO), Afonso Rodrigues de Carvalho, mais conhecido como Magayver, afirmou nessa segunda-feira (16) que o Sinaceg “assinou atestado de autoria dos incêndios criminosos” ao assumir os prejuízos causados por briga interna na entidade.

Ele reagiu com indignação à notícia do rateio:

“Espero que as autoridades constituídas ajam com rigor para punir os responsáveis. Foi uma briga interna.”

Magayver é um dos mais ferrenhos críticos ao poder exercido pelo cartel dos cegonheiros no transporte de veículos novos. O sindicalista revelou conteúdo de textos escritos e divulgados pelo aplicativo WhastApp, atribuídos a Mauro Simeão, o Maurinho:

“Nas mensagens, Maurinho fala em represália por conta das atitudes tomadas pela Brazul e pela Tegma.”

Magayver ressaltou que Maurinho foi citado no depoimento de José Carlos Rodrigues, o Pernambuco, dado à Polícia Federal em 2012, como um dos incendiários dos ataques ocorridos em 2010. Nos textos citados por Magayver, Maurinho reclama:

“Hoje faz cinco dias do ato covarde que a Brazul e a Tegma, a mando do Sinaceg e seus diretores, retalhou pais de família cortando suas vagas no dia 20 de fevereiro.”

Para Magayver, resta apenas uma indagação:

“Alguém tem dúvida de quem incendiou esses caminhões e depredou os outros”? As autoridades, que certamente já estão de posse dessas conversas, devem agir com rigor, principalmente ao tomarem conhecimento de que, poucos dias depois, o mesmo Maurinho postou um curto texto se retratando. Logo em seguida ocorreu a assembléia e o acerto entre eles.”

Magayver agora prevê calmaria no setor:

“Isso é uma prova contundente de que são eles mesmo que ateiam fogo nos caminhões-cegonha. É de se perguntar: Além de divulgar uma nota, o Sinaceg registrou boletim de ocorrência? Apontou ou deu nome de possíveis autores para os incêndios criminosos? Brazul ou Tegma também registraram boletins? Duvido. Eles não colocam nomes porque sabem exatamente quem faz esse tipo de serviço.”

E concluiu:

“Esse é o mesmo grupo que há muito tempo causa prejuízo aos carreteiros que prestam serviços às transportadoras Gabardo e Transilva. Esses criminosos incendeiam nossos patrimônios. Quando nossos conjuntos são covardemente atacados não há qualquer manifestação do Sinaceg. Naturalmente não esperamos isso, porque é uma entidade já condenada pela Justiça por agir de forma ilícita.”