Com 170 atos de concentração analisados até o início de junho, Cade registra aumento da produção em 2020

Os efeitos devastadores da pandemia de Covid-19 verificados na economia e no sistema de saúde em vários países do mundo não afetaram a atuação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Nos cinco primeiros meses do ano, o órgão antitruste analisou 170 atos de concentração. No mesmo período de 2019 foram avaliadas 165 operações. O balanço foi realizado pela Coordenação-Geral Processual do Cade.

Também houve aumento dos casos notificados. Ao todo, 178 operações foram submetidas ao Conselho até o início de junho, ante 165 contadas entre janeiro e maio de 2019. O valor total aproximado das transações notificadas chega a R$ 65,4 bilhões.

Em relação ao tempo que o Cade leva para avaliar uma operação, verificou-se que a autarquia – que tem um dos menores prazos entre as agências antitruste do mundo – está mais ágil em 2020. No comparativo com 2019, durante o período de janeiro a maio, o tempo médio geral das análises foi menor. Em maio, por exemplo, a média geral foi de 31,4 dias em 2020, contra 34,4 dias observados em 2019.