Eleição no Sintravers pode reeditar racha. Chapa única é descartada, mas tudo pode acontecer

A eleição para a presidência do Sindicato dos Cegonheiros do Rio Grande do Sul (Sintravers), programada para os dias 8 e 9 de outubro, pode reeditar o racha de 2016. Dois dos principais líderes, que há 16 anos se revezam no comando da entidade, intrigados profissionalmente nos últimos quatro anos, podem voltar a se enfrentar na eleição que se aproxima. O atual presidente, Jefferson de Souza Casagrande, já definiu que vai disputar a reeleição, após reunião de diretoria ocorrida na semana passada. Como principal adversário surge o nome do ex-presidente Silvio Miguel Coelho Dutra. Os dois afirmam disposição para concorrer. Apesar de movimentos externos apontarem para a busca de uma chapa única, segundo informações que chegaram ao site Livre Concorrência, ambos descartam qualquer possibilidade de retomar a unidade que durou quase duas décadas.

O prazo para registro de chapas já está correndo desde a última segunda-feira, de acordo com edital publicado pelo Sintravers (foto abaixo).

As candidaturas precisam ser apresentadas formalmente na sede do sindicato até o dia 23 deste mês. Casagrande, mais conhecido como Bolinha, acredita que cerca de 145 associados estão em condições de votar:

‘’Conforme prevê o estatuto, poderão votar todos os que estiverem com os seus registros e fichas cadastrais em dia.”

Ele também fez questão de deixar claro que durante a reunião da diretoria o assunto de chapa única foi debatido: ‘

’A conclusão é de que não existe possibilidade de junção, de se unir com A, B ou C.’’

Silvio Dutra foi quase que monossilábico. Indagado sobre a possibilidade de ser formada uma chapa única, afirmou categoricamente:

‘’Sem chance’’.

Ele adiantou que havendo o registro de sua chapa, uma de suas principais bandeiras será especialmente a melhoria do valor pago a titulo de frete. Também acredita ser possível desenvolver ações que tenham como foco a busca de melhores condições de trabalho, apesar de não detalhar como seria o seu projeto.

A eleição para o comando do sindicato de cegonheiros gaúcho desperta atenção e acompanhamento do Sindicato dos Cegonheiros de São Paulo (Sinaceg, ex-Sindicam). Mesmo que a entidade paulista tenha sido condenada por formação de cartel depois de ser denunciada pelo Sintravers, há 20 anos, pelo menos um diretor participa ativamente das campanhas. Na de 2016, em várias reuniões, esteve presente o atual diretor executivo, Gilmar Donizete da Silva, conhecido como Mexicano. Houve queixas, inclusive, de uma possível influência no resultado da eleição.