Magayver: “Se foi trote é crime. Se tentaram me envolver no assalto é crime também. Se usaram meu nome para desviar o foco da investigação é crime maior”

“Se foi um trote é crime. Se foi uma tentativa de me envolver no assalto é crime também. Se tentaram usar meu nome para desviar o foco da investigação é crime maior.” A declaração foi dada pelo presidente do Sindicato dos Cegonheiros de Goiás (Sintrave-GO), Afonso Rodrigues de Carvalho, ao deixar a 1ª Delegacia de Polícia de Gravataí, no Rio Grande do Sul. Magayver, como é conhecido, foi intimado a prestar depoimento sobre assalto ocorrido no pátio da transportadora Brazul, também em Gravataí. Na madrugada de 28 de maio, cerca de 20 bandidos armados entraram na empresa do político e empresário Vittorio Medioli, renderam os funcionários e roubaram 15 caminhonetes zero-quilômetro da marca Toyota. Juntos os veículos valem R$ 3 milhões. Magayver foi associado ao crime por meio de uma ligação anônima.

O depoimento foi dado ao delegado Márcio de Jesus Zachelo em 6 de outubro. Magayver atribuiu a denúncia anônima ao papel que ele desempenha no combate ao cartel dos cegonheiros – uma organização criminosa que controla o transporte de veículos novos em todo o país. O sindicalista notabilizou-se nas últimas duas décadas por reunir provas contra empresários e dirigentes de entidades envolvidos em incêndios criminosos, abuso de poder econômico, dominação de mercado, eliminação total ou parcial de concorrência, fixação artificial de preços, formação de cartel e associação criminosa.

Magayver já testemunhou ao longo dos anos para Polícia Federal, Ministério Público Federal, Grupos de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de vários estados, Justiça Federal e Conselho Administrativo de Defesa Econômica.

Sobre o depoimento referente ao assaltou, ele explicou:

“Entrei como suspeito. Saí como testemunha. A Polícia ficou com alguns números de telefones e nomes apontados por mim como possíveis autores da denúncia anônima.”

E concluiu:

“A máfia dos cegonheiros joga sujo. Faz um jogo baixo para desqualificar os que se opõem ao cartel. Normalmente usam sites de aluguel ou páginas compradas de jornais. Agora envolveram a Polícia. Vamos aguardar o resultado das apurações e esperar que os responsáveis sejam punidos.”