Contra a concorrência, senador major Olímpio (PSL) faz lobby a favor de grandes transportadoras

O disputado setor de transporte de valores trouxe à cena um novo ingrediente. Enquanto o Senado da República estava se preparando para aprovar por consenso o Estatuto da Segurança Privada (PLS 135/2010), sem as polêmicas anticoncorrenciais do texto, um novo “acordo” apareceu.

Publicidade: confira aqui o conteúdo do site Debate Jurídico

Na calada da noite, o senador Major Olímpio (PSL-SP), árduo defensor das maiores empresas de transporte de valores do país, enviou um áudio convocando a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e representantes de empresas de transporte de valores e de segurança privada para convencer Randolfe Rodrigues (Rede-AP) a alterar o seu relatório a fim de atender aos “interesses do setor”.

Major Olímpio defende um dispositivo anticoncorrencial no projeto de lei que já havia sido derrubado por Randolfe no final de 2019. Esse “jabuti”, que nada tem a ver com o propósito inicial do PL, visa a tirar do mercado empresas de transporte de valores que tenham em seu capital social instituições financeiras.

No áudio, Olímpio deixa claro que já conta com o apoio da Febraban e da Fenavist (Federação Nacional das Empresas de Segurança e Transporte de Valores) em sua investida para convencer Randolfe a mudar seu voto. 

Reforça ainda que a Fenavist enviou para ele um documento, já encaminhado ao relator, com as alterações que devem ser feitas no PL e que justificam a manutenção do dispositivo anticoncorrencial. Ele completa que aguarda da Febraban e demais entidades interessadas uma formalização do acordo já feito para privilegiar as grandes transportadoras que dominam o mercado.

Entidades representativas do setor, como Fenaval, Fenavist e ABTV têm um longo histórico de ações que privilegiam os interesses das empresas que dominam o mercado, em detrimento dos grupos menores.