Com lucro de R$ 482 milhões, Localiza registra alta de 109% no primeiro trimestre

Segundo a maior empresa de aluguel de veículos e gestão de frotas do país, a margem Ebitda da venda de seminovos, de 13,5% no primeiro trimestre, “tende a sustentar um patamar mais elevado ao longo desse ano”.

A Localiza registrou no primeiro trimestre de 2021 um lucro líquido de R$ 482,3 milhões – alta de 108,9% em relação ao mesmo período do ano anterior, quando auferiu ganho de 230,8 milhões.

Do total da receita, R$ 1,5 bilhão correspondeu à venda de seminovos, uma redução de 6,6% no comparativo anual, e R$ 1,3 bilhão à divisão de aluguéis, que registrou alta de 9,7% em relação ao primeiro trimestre de 2020. Também foi apurado geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de R$ 805,8 milhões, um crescimento de 27,4% na comparação anual.

Vale destacar que a dificuldade na oferta de carros novos por parte das montadoras ajudou a empresa a consolidar os números dos três primeiros meses de 2021. Isso acarretou elevação de mais de 23% nos preços dos carros usados. Esse movimento elevou a margem de lucro da divisão de venda de seminovos em 12 pontos percentuais e contribuiu para reduzir em R$ 100,9 milhões a depreciação da frota da companhia.

Segundo a Localiza, a margem Ebitda da divisão de seminovos, de 13,5% no primeiro trimestre, “tende a sustentar um patamar mais elevado ao longo desse ano”.

A Localiza também citou que o lucro foi ajudado por R$ 105,3 milhões a menos em despesas financeiras decorrentes de menores taxas de juros.

A Localiza apresentou no fim do ano passado uma oferta de compra da concorrente Unidas. Essa operação está em análise no Cade. O Ato de Concentração n° 08700.000149/2021-46 trata da incorporação da totalidade das ações da Unidas pela Localiza. Críticos à fusão das líderes do mercado de locação no país denunciam que o negócio pode resultar em aumento de preço das locações e até do valor dos veículos zero-quilômetro vendidos aos consumidores.