Mídia nacional repercutiu declarações preconceituosas do político e empresário Vittorio Medioli sobre o Nordeste

O dono do grupo Sada e atual prefeito de Betim (MG) defendeu a separação do Nordeste do restante do país após o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva derrotar Jair Bolsonaro no segundo turno em todos os estados da região.

Solaris Energia Solar - whatsapp (51) 984326475

De Minas Gerais

Em artigo publicado na edição do dia 6 do jornal O Tempo, do qual é dono, o empresário e político Vittorio Medioli afirmou que a eleição presidencial revelou a existência de “dois Brasis”. Após a repercussão, o proprietário do grupo Sada esboçou uma tímida espécie de retratação. No primeiro artigo, ele escreveu:

“Um que produz mais e arrecada impostos, e outro, paradoxalmente mais carente, que vive das transferências. Dessa forma, a divisão territorial, por meio de um ‘divórcio consensual’, está com suas sementes se espalhando.”

Sobre as afirmações de Medioli, o site da revista Veja estampou o seguinte título:

“A estapafúrdia proposta de separar o Nordeste do restante do país.”

Segundo o site Uol Notícias, o prefeito também demonstrou apoio às manifestações antidemocráticas que ocorrem no país. O Uol destacou trechos do texto do empresário bolsonarista:

“Com exceção do Nordeste, milhões de pessoas se aglomeram em frente aos quartéis do Exército procurando alternativas ao que não querem.”

O site da revista Carta Capital destacou outro trecho do artigo de Medioli:

“O separatismo, presente em outros momentos da história brasileira, não seria, à primeira vista, a solução mais adequada, mas, nesse caso, a vontade popular, por meio de plebiscitos, seria talvez a única solução para resgatar a legitimidade ameaçada.”

UOL, Carta Capital e Veja ressaltaram em suas reportagens que a Lei nº 9.459, de 13 de maio de 1997, prevê pena de um a três anos de prisão e multa para quem cometer discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.

O site 247 publicou:

“Em postura xenófoba, o prefeito de Betim (MG), Vittorio Medioli, defendeu que o Nordeste seja separado do restante do Brasil, após o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vencer em todos os estados da região.”

O site Agenda Betim publicou três textos sobre o artigo de Medioli. Em um deles, veiculado em 7 de novembro, enfatizou:

“Vittorio Medioli e sua aversão ao Nordeste e à democracia.”

E continuou:

“Prefeito de Betim segue fomentando o ódio contra a população do Nordeste por sua escolha majoritária na eleição presidencial, sugerindo até separá-la do país.”

Em seu blog, o jornalista Carlos Lindenberg, acrescentou:

“Em tom xenofóbico e elitista, Vittorio Medioli comenta resultado das eleições. Prefeito de Betim, que apoiou Jair Bolsonaro (PL), disse que o ‘Nordeste impôs ao resto do país a condução dos próximos quatro anos’, e que o Brasil (…) fica tendo que acolher uma decisão daquela região.”

O site PBAgora noticiou:

“Inconformado com a vitória de Lula, prefeito de Betim defende separar Nordeste do Brasil. Em postura xenófoba, o prefeito de Betim (MG), Vittorio Medioli, defendeu que o Nordeste seja separado do restante do Brasil, após o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vencer em todos os estados da região.”

O site Fórum, sob a cartola Discurso de ódio, citou crimes que teriam sido cometidos por Medioli:

“Imigrante italiano, Vittorio Medioli já foi condenado pelo crimes de evasão de divisas e manutenção de dinheiro ilegal no exterior antes de artigo xenofóbico contra nordestinos em seu jornal.”

Sob o título “Prefeito bolsonarista que quer separar Nordeste do Brasil escreveu texto antissemita e entrevistou neonazista”, o site DCM lembrou que Medioli, há quatro anos, “perpetrou um besteirol antissemita estúpido a propósito dos 200 anos de nascimento de Karl Marx”.

O repórter Kiko Nogueira escreveu:

“Conseguiu [o Medioli] misturar os ‘iluminatti’ com o infame “Protocolo dos Sábios de Sião”, falsificação criada na Rússia czarista que pintava os judeus como protagonistas de uma conspiração mundial.”

O DCM reproduziu mais trechos desse texto:

“Os donos das finanças, do poder, daqueles que a cada guerra ficam mais poderosos e ricos, que invariavelmente remetem aos Rothschild. O primeiro negro que chegou à Casa Branca possui o DNA dessa família, que trabalha em ‘longo prazo’. Que coloca à noite a moeda na cabeça da estátua na praça e de dia faz o milagre de concedê-la a uma multidão de ingênuos.”

Kiko Nogueira foi além:

“Em 2017, o jornal dele entrevistou um certo ‘fundador’ do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Brasileiros. O sujeito ganhou um espaço generoso para defender, por exemplo, que o Holocausto não existiu — sem qualquer réplica.”

Segundo o entrevistado, “Hitler foi um homem que trouxe prosperidade a um Estado amante de seu povo”.

Depois da repercussão negativa na imprensa Medioli publicou novo texto, no qual escreveu:

“Em momento nenhum tive a intenção de ser preconceituoso e, se me fiz entendido dessa forma, venho demonstrar minha completa tristeza por ter passado esse tipo de mensagem para uma única pessoa que seja.”

Nota da Redação:
Nenhum dos veículos que repercutiram a manifestação de Medioli citaram que o empresário, por meio da Sada Transportes e Armazenagens, fatura milhões com o transporte dos veículos produzidos pela fábrica da Jeep em Goiana (PE), e que anunciou, em cerimônia no Palácio do Campo das Princesas, na presença do governador Paulo Câmara, em 2020, investimentos de R$ 110 milhões no que seria uma nova filial da Sada nas proximidades da montadora.

Medioli destacou na cerimônia:

“Nós nos orgulhamos de ter contribuído para a edificação de uma nova história para a região de Goiana e para o povo pernambucano.”

Cabe esclarecer ainda, que o site Forum citou crimes atribuídos a Vittorio Medioli, mas não referiu que o político e empresário foi beneficiado pela prescrição.

Imagem: Reprodução/Facebook

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Mídia nacional repercutiu declarações preconceituosas do político e empresário Vittorio Medioli sobre o Nordeste"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    QUE COISA LAMENTÁVEL, MEUS NOBRES AMIGOS QUE SEMPRE ACOMPANHAM ESSAS MATÉRIAS LÚCIDAS E BRILHANTES INTELECTUALMENTE FALANDO!
    COMO PODE UM “SUJEITO”, DE NACIONALIDADE ITALIANA, SE EXPRESSAR DESSA FORMA, CONTRA O POVO NORDESTINO?
    A POLÍTICA DE NOSSO PAÍS NÃO PODE SE ALIAR A ESSE ESTRANGEIRO, QUE JAMAIS PODERIA ESTAR NO COMANDO DO CITADO CARTEL DOS CEGONHEIROS.
    ELE É UM CRIMINOSO ASSÍDUO, E DEVERIA SER EXPULSO DE NOSSO PAÍS.
    CERTAMENTE CORROMPE A QUEM PODE, POIS A SEDE DA FIAT/JEEP JAMAIS PODERIA IMPLANTAR UMA BASE DA SADA. ISSO JÁ CARACTERIZA A FALTA DE CARÁTER DO ENTÃO GOVERNADOR DO ESTADO, NAQUELA ÉPOCA.
    AGORA, O INTITULAM COMO SENDO UM “BOLSONARISTA”, PARA ASSIM SUJAR O NOME DO NOSSO LEGÍTIMO PRESIDENTE DA REPÚBLICA.
    CERTAMENTE MUITOS NORDESTINOS VOTARAM NO CANDIDATO DA ESQUERDA, QUE NEM PODERIA TER CONCORRIDO NESSA ELEIÇÃO, POR TER SIDO CONDENADO E PRESO. ELE NÃO FOI INOCENTADO, APENAS FOI DESCONDENADO! MUITOS NORDESTINOS TAMBÉM VOTARAM NO BOLSONARO.
    CERTAMENTE ESSE ITALIANO ESTÁ QUERENDO APARECER, CONTINUANDO A ATUAR EM NOSSO PAÍS DE FORMA CRIMINOSA.
    CUMPRAM-SE AS LEIS!
    RESPEITEM O POVO NORDESTINO DE BEM DESSE NOSSO BRASIL!

Os comentários estão encerrados