Ágio cobrado é seis vezes maior que o faturamento total das transportadoras independentes

Levantamento realizado pelo site Livre Concorrência mostra que transportadoras independentes – duas em todo o país – receberam 6,42% dos valores pagos pelas montadoras e movimentaram apenas 8,8% das cargas. O ágio cobrado pelo cartel dos cegonheiros é seis vezes maior que o valor entregue às transportadoras que não integram o conluio que controla o transporte de veículos novos no país.

De São Paulo

Dos mais de R$ 11,2 bilhões pagos por 23 montadoras para escoar a produção de veículos até as concessionárias de todo o Brasil, o cartel dos cegonheiros ficou com quase 94% desse total. No universo de aproximadamente dois milhões de veículos e utilitários leves emplacados em 2022, apenas 172.907 unidades não foram transportadas por empresas vinculadas ao cartel dos cegonheiros. As transportadoras independentes – representadas pela Transportes Gabardo e Transilva Logística – somaram 8,86% das cargas e receberam apenas 6,4% dos valores pagos pelas montadoras para escoar a produção até as montadoras.

2022Veículos transportadosValor recebido por fretesÁgio
Cartel dos cegonheiros1.777.789R$ 10,5 bilhõesR$ 4,1 bilhões
Transportadoras independentes172.907R$ 679,2 milhões
Totais1.950.696R$ 11,2 bilhõesR$ 4,1 bilhões

O faturamento das independentes é 15 vezes menor que o valor pago ao cartel dos cegonheiros. O ágio cobrado das montadoras e repassado integralmente aos consumidores é seis vezes maior do que as empresas independentes receberam em 2022.

Das 23 montadoras analisadas, apenas quatros não entregam integralmente ao cartel dos cegonheiros a produção destinada para abastecer o mercado interno: Hyundai Piracicaba (70%, Transportes Gabardo), Caoa-Hyundai Anápolis, Chery (100%, Transportes Gabardo) e Kia (100%, Transilva Logística, que participou do cartel e firmou acordo de leniência com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica, o Cade.

Atualizada às 2h00min.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Ágio cobrado é seis vezes maior que o faturamento total das transportadoras independentes"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    ESSAS MATÉRIAS LÚCIDAS, SÃO TÃO BEM EXPLÍCITAS, QUE NEM CABE A NÓS, SIMPLES LEITORES, OPINARMOS DE FORMA DIFERENTE, NÃO É MESMO!
    BASTA EXTERMINAREM ESSE CARTEL CRIMINOSO, DE FORMA FINITA, PARA ASSIM SALVAREM A NOSSA NAÇÃO, HAJA VISTA QUE AS LESÕES FINANCEIRAS A NOSSA NAÇÃO, FORAM GIGANTESCAS E AS PRINCIPAIS VÍTIMAS FORAM OS CONSUMIDORES FINAIS E AS DEMAIS TRANSPORTADORAS DE VEÍCULOS, QUE JAMAIS SE RECUPERARÃO DESSES DANOS, MAS O NOSSO PAÍS, PODE SIM, SER SALVO!
    FACÇÕES CRIMINOSAS E CARTÉIS, JAMAIS PODERIAM EXISTIR EM NOSSA NAÇÃO!
    NADA MAIS A COMENTAR!
    SÓ NOS RESTA AGORA, É PARABENIZAR AS EDIÇÕES DESSE PORTAL, SEMPRE BRILHANTE EM SUAS MATÉRIAS.
    “OS CRIMES NÃO COMPENSAM!”
    SRS. JURISTAS: “SALVEM A NOSSA PÁTRIA AMADA, BRASIL”!

Os comentários estão encerrados