Alinhamento da Volkswagen ao cartel dos cegonheiros custa R$ 1,2 bilhão aos consumidores

O alinhamento da Volkswagen do Brasil ao cartel dos cegonheiros custou aos consumidores da marca mais de R$ 1,241 bilhão em 39 meses (2017, 2018, 2019 e os três primeiros meses de 2020). A cifra refere-se ao ágio cobrado por transportadoras e sindicatos que controlam o transporte de veículos novos no país. Em conluio com a montadora, grupos econômicos, liderados pelas transportadoras Sada e Tegma, impedem a entrada de novos operadores no mercado e fixam artificialmente o preço do frete com ágio de 40% sobre os valores praticados pelo mercado. A VW contrata as seguintes transportadoras (todas vinculadas ao cartel: Tegma Gestão Logística, Transauto, Brazul Transzero e Dacunha (as três últimas pertencem ao grupo Sada, que tem  o empresário e político Vittorio Medioli como dono. Ao todo, Volkswagen repassou ao cartel nesse período R$ 3,104 bilhões, a título de logística e frete. Tudo incluído no valor final dos veículos.

Publicidade: confira aqui o conteúdo do site Debate Jurídico

Os valores acima são conservadores, pois levam em consideração apenas as vendas consolidadas no mercado interno. Os ganhos do cartel são muito superiores. O ágio de 40% foi confirmado pela Polícia Federal, em investigação realizada no setor no âmbito da Operação Pacto, em parceria com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

Em outubro de 2019, Polícia Federal, Gaeco e Cade realizaram, com autorização judicial, buscas e apreensões nas sedes de transportadoras dos grupos Sada e Tegma. As sedes da Transcar, com matriz na Bahia, e do Sindicato dos Cegonheiros do Espírito Santo (Sintraveic-ES) também foram vasculhadas pelos agentes. O sobrepreço é pago pelas montadoras e repassado integralmente aos consumidores. O valor do frete faz parte do custo de produção dos automóveis. O Ministério Público Federal estima em 4% do valor final dos veículos constitua o frete. As montadoras atendidas pelo cartel absorveram o ágio, repassando-o aos consumidores. Estima-se um prejuízo de R$ 2 bilhões por ano.

O que a Operação Pacto apurou até o momento:
– Poucas transportadoras dividem o mercado de fretes de veículos novos.
– Empresas e sindicatos ligados ao cartel dos cegonheiros atuam com o propósito de impedir o ingresso de novos transportadores.
– Não existe livre concorrência.
– Contratação de transportadoras é realizada mediante processo caracterizado por cartas marcadas.
– Fixação artificial de preço, com ágio de até 40%.

Para Polícia Federal, montadoras e concessionárias são reféns da organização criminosa que explora o setor. A indústria acaba sendo coagida com piquetes e queima de caminhões-cegonha quando ameaçam romper com o cartel. A Nissan, empresa do mesmo grupo econômico da Renault, afirmou ao Ministério Público do Rio de Janeiro, que não realiza cotação de preços por temer pela segurança dos seus colaboradores e outras represálias. O documento foi anexado ao Inquérito Administrativo em andamento no Cade.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Alinhamento da Volkswagen ao cartel dos cegonheiros custa R$ 1,2 bilhão aos consumidores"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    AÍ ESTÁ EXPLICADO PORQUE QUE OS VEÍCULOS NOVOS PRODUZIDOS EM NOSSO PAÍS, SÃO OS MAIS ELEVADOS DA AMÉRICA DO SUL.
    ELES SÃO SUPERFATURADOS PARA O CARTEL DOS CEGONHEIROS (FRETES ABUSIVOS), ONDE 40% DESSES CUSTOS SÃO COBRADOS DOS CONSUMIDORES FINAIS EM FORMA DE ÁGIO. AS MONTADORAS NÃO TEM PREJUÍZOS NENHUM, APENAS O CARTEL SAI NO LUCRO LIVRE, POIS ATÉ AS TRIBUTAÇÕES SÃO BAIXAS, ONDE OS GOVERNOS ESTADUAIS OS FLEXIBILIZAM! DÁ PRA ENTENDER ENTÃO, O PORQUE DESSE CARTEL CRIMINOSO TER QUE SER EXTINTO DEFINITIVAMENTE DE NOSSO PAÍS!
    OS TRANSPORTADORES NÃO VINCULADOS AO MESMO, SEMPRE FICAM REFÉNS DESSA ORGANIZAÇÃO CARTELISTA, QUE NUNCA RESPEITOU AS LEIS, PRINCIPALMENTE A DA LIVRE CONCORRÊNCIA!
    ELES ATEIAM FOGO EM CARRETAS DA CONCORRÊNCIA E, ATÉ NAS PRÓPRIAS, PARA ENTÃO ACUSAREM OS CONCORRENTES! DÁ PRA ENTENDER?
    ESSA MONTADORA, ASSIM COMO AS DEMAIS, DEVEM SER PENALIZADAS TAMBÉM, E DE FORMA FINITA, PARA O BEM DE NOSSO BRASIL!
    TODO CARTEL AQUI EXISTENTE DEVERIA SER PROIBIDO DE ATUAR, SEJA EM QUAL FOR A ATIVIDADE!
    ONDE ESTÃO AS LEIS, QUE NÃO SÃO CUMPRIDAS ATÉ OS DIAS DE HOJE?
    O CHEFE DESSE CARTEL DOS CEGONHEIROS TAMBÉM É UM POLÍTICO, PREFEITO DE UM MUNICÍPIO MINEIRO, QUE JÁ DEVERIA TER SOFRIDO O IMPEACHMENT HÁ MUITO TEMPO! AGORA ESTÁ CONCORRENDO A REELEIÇÃO. ISSO É UM ABSURDO!
    O BRASIL TEM QUE SER LIMPO DESSA CORJA URGENTEMENTE!

Os comentários estão encerrados