Álvaro Dias alia-se a sindicato e a empresário envolvidos em formação de cartel e associação criminosa

Acusações de monopólio no transporte de veículos novos, invasão de base territorial e violência contra trabalhadores paranaenses foram colocadas de lado pelo senador Álvaro Dias. O pré-candidato pelo Podemos à Presidência da República mudou o discurso e aliou-se recentemente à entidade condenada por formação de cartel, o Sindicato dos Cegonheiros de São Paulo (Sinaceg, ex-Sindicam). Também uniu-se ao prefeito de Betim e dono do grupo Sada, Vittorio Medioli – denunciado por chefiar a associação criminosa que controla o setor, conforme inquérito da Polícia Federal.

A aproximação com o cartel dos cegonheiros ficou evidente em setembro do ano passado, quando o pré-candidato foi convidado pela diretoria do Sinaceg para cerimônia de abertura da 19ª Expo de Transportes do ABCD, evento promovido pela entidade, considerada o braço político da organização criminosa que controla o mercado de transporte de veículos novos, segundo investigações do Ministério Público Federal e da Polícia Federal.

“Para nós é uma grande honra estarmos ao lado dos cegonheiros”, afirmou em 22 de setembro, na cidade de São Bernardo do Campo (SP). Dezesseis anos antes, em 23 de abril de 2002, o senador pelo Estado do Paraná denunciava na tribuna do Senado o Sinaceg por “tentativa de monopólio” e de “invasão de base territorial”.

“Essa tentativa de invasão da base territorial do Paraná por um sindicato com sede em São Paulo (Sinaceg) está provocando indignação, revolta, desemprego e manifestações que acabam, lamentavelmente, em violência.”

O Sinaceg reúne todos os empresários que prestam serviços às transportadoras dos grupos Sada e Tegma, cujas operações representam mais de 95% do bilionário mercado de fretes de veículos novos no País. As atividades ilegais praticadas pela entidade levaram procuradores da República a pedir à Justiça o fechamento da entidade, por fugir da territorialidade de representação (é um sindicato paulista que atua em nível nacional) e por desempenhar atividades ilícitas contrárias à ordem econômica e à livre concorrência.

Medioli coordenará campanha de Dias em Minas Gerais
Na cerimônia de filiação de Medioli ao Podemos (foto de abertura), realizada em 20 de fevereiro, Dias deu boas-vindas ao empresário que combatia no passado.

“A filiação de Medioli não é apenas um salto de qualidade, mas a definição de rumo que queremos.”

Em 2002, Dias destacava apuração do MPF sobre participação da Sada, cujo dirigente máximo é Medioli, no cartel dos cegonheiros:

“O Ministério Público Federal, por meio do Procurador da República do Ofício do Consumidor e da Ordem Econômica, lotado no Rio Grande do Sul, já vem investigando o monopólio do transporte de veículos das montadoras no Brasil, onde dois grupos operam: um deles é o Grupo Sada Transporte, um grupo italiano responsável por várias empresas, entre elas a Brazul, T. Norte, Da Cunha, Transzero.”

Decepção com políticos
Para finalizar, vale lembrar a avaliação de Dias sobre o momento político vivido pelos brasileiros, em discurso proferido na feira promovida pelo Sinaceg:

“Os políticos infelizmente decepcionaram nos últimos anos. Os governos foram incompetentes e corruptos. Temos de recuperar a esperança perdida e tentar mais uma vez.”

Em sua coluna semanal, publicada neste domingo no jornal O Tempo, Medioli analisou os pré-candidatos à Presidência da República. Sobre Álvaros Dias, escreveu:

“Álvaro Dias estreia numa disputa presidencial com 73 anos de idade e 50 de política, pela qual transitou como governador do Paraná mais bem avaliado e um currículo irretocável. Sem ser novidade, entretanto, se apresenta como a única novidade associada à ética e à experiência. É um candidato de forte potencial.”

A propósito, Medioli é dono do jornal O Tempo. O Portal Livre Concorrência encaminhou e-mail ao gabinete, mas o senador Álvaro dias não quis dar retorno.

Crédito da foto: Divulgação/Podemos

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Álvaro Dias alia-se a sindicato e a empresário envolvidos em formação de cartel e associação criminosa"

  1. Luiz Carlos Bezerra disse:

    POIS É CAROS LEITORES. O MELIANTE JÁ COMEÇOU A AGIR. ISSO ERA ESPERADO! ELE NÃO PODIA FICAR DE MÃOS ATADAS, DE JEITO NENHUM!
    AGORA COMO SE VÊ… JÁ CONQUISTOU MAIS UM ALIADO, QUE NO PASSADO LUTAVA EM PROL DA CATEGORIA MENOSPREZADA PELO CARTEL! DAÍ, FICA MAIS UMA VEZ A PERGUNTA: – POR QUE MUDOU DE LADO, O SR. ÁLVARO DIAS??? PARECE SER ATÉ MUITO DIFÍCIL A RESPOSTA, NÃO É? AFINAL, AS CAMPANHAS POLÍTICAS ARRECADAM MUITO DINHEIRO. NÃO É? E ISSO É COISA FÁCIL DE SE CONSEGUIR COM O CHEFE DA MÁFIA…
    NEM PRECISA SER MAIS CLARO.
    AINDA BEM QUE O MPF JÁ APUROU E ESTÁ CONCLUINDO SUAS INVESTIGAÇÕES SOBRE O CARTEL. NESTE CASO, APENAS SE CONSTATA QUE O “BLOCO” ESTÁ CRESCENDO EM SEUS COMPONENTES…
    VAMOS EM FRENTE!!!
    AVANTE MPF E BRASILEIROS CORRETOS, QUE FAZEM PARTE INTEGRANTE NO SETOR DE TRANSPORTE DE VEÍCULOS NOVOS PRODUZIDOS NO BRASIL!!!
    ENQUANTO EXISTIR UM “SINACEG” ATUANTE, O CARTEL VIVERÁ!
    MAS ISSO VAI ACABAR!!!
    EU ACREDITO NA FORÇA JURÍDICA!!!

Os comentários estão encerrados