Cade antecipa comunicação de crime de cartel ao Ministério Público

O objetivo, fruto da estratégia nacional de combate a cartéis, é acelerar e tornar mais efetiva a persecução criminal das pessoas físicas e jurídicas investigadas nesses casos. Novos procedimentos poderão incluir as investigações do chamado cartel dos cegonheiros.

De Brasília

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) decidiu antecipar ao Ministério Público o envio de notas técnicas que contenham sugestão de condenação de agentes econômicos pela prática de cartel. O objetivo da determinação, publicada na edição de 21 de outubro do Diário Oficial da União (DOU), é acelerar e tornar mais efetiva a persecução criminal das pessoas físicas e jurídicas investigadas nesses casos. As investigações sobre o chamado cartel dos cegonheiros deverá estrar entre os novos procedimentos, já que houve acordo de leniência e diligências criminais acompanhadas pelo Minsitério Público do Estado de São Paulo (Gaeco) e a própria autoridade antitruste.

A mudança consta na Portaria Normativa nº 21, e entrou em vigor na data de sua publicação no DOU. O texto, assinado por Alexandre Barreto de Souza, superintendente-geral do Cade, disciplina a comunicação do Cade ao MP:

“Art. 1º A Superintendência-Geral encaminhará ao Ministério Público competente as Notas Técnicas que contenham sugestão de condenação de agentes econômicos pela prática de cartel.”

E acrescenta:

“Parágrafo único. As Notas Técnicas poderão ser encaminhadas diretamente ao Membro do Ministério Público que já tenha atuado nos casos em que o processo em andamento na Superintendência-Geral possua participação do parquet em Acordos de Leniência ou ainda em atuação conjunta em investigações.”

As notas técnicas são formuladas pela Superintendência-Geral (SG) do órgão antitruste. Elas contêm análise prévia dos casos e indicam a condenação ou não das empresas investigadas. As notas técnicas serão encaminhadas diretamente ao MP em suas versões públicas, conforme o disposto na Resolução Cade nº 21/2018. Antes os casos só eram comunicados ao MP após primeira análise da SG e depois da decisão condenatória do Tribunal do Cade.

Ao jornal Valor Econômico o superintendente-geral do Cade explicou que a iniciativa é fruto da estratégia nacional de combate a cartéis, lança em agosto pelo Ministério Público Federal e Cade. A meta, segundo ele, é tornar mais efetiva a persecução criminal desses casos. Com a mudança, segundo o MPF, haverá um economia de anos, informou o Valor.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Cade antecipa comunicação de crime de cartel ao Ministério Público"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    POIS É MEUS AMIGOS QUE SEMPRE ACOMPANHAM ESSAS BRILHANTES MATÉRIAS DESSE PORTAL.
    APESAR DAS CRISES, AGORA CHEGOU A HORA DAS AUTORIDADES ATUAREM COM VEEMÊNCIA PARA EXTERMINAREM DEFINITIVAMENTE ESSES CARTÉIS DE NOSSOS PAÍS, PUNINDO TODOS OS SEUS LÍDERES, PARA ASSIM TORNAREM O NOSSO PAÍS MAIS SÉRIO!
    CUMPRAM AS LEIS, DOA A QUEM DOER!
    SÓ TEMOS QUE PARABENIZAR O CADE E TODAS AS INSTITUIÇÕES QUE JÁ INVESTIGARAM ESSES CASOS.

Os comentários estão encerrados