Mercado cartelizado de resina sofre condenação no Cade e terá de pagar multa

Duas empresas e cinco pessoas físicas foram punidas por limitar a concorrência por meio de fixação de preços e troca de informações concorrencialmente sensíveis. Órgão antitruste fixou multas no valor total de R$ 46,8 milhões. Prática, segundo a relatora, teria ocorrido por mais de uma década e gerado “elevado grau de lesão aos consumidores e à economia”.

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) proferiu sentença contra a Royal Química e a Cempre Apoio Educacional por formação de cartel no mercado nacional de resinas. Cinco pessoas físicas ligadas às empresas também foram condenadas. As multas fixadas pelo órgão antitruste somam R$ 46,8 milhões.

A punição atinge os mercados de resinas para fabricação de produtos como tintas para fins arquitetônicos e para produção de caixas d’água, piscinas e laminados para as indústrias náutica e automobilística.

Acordo de leniência
O processo administrativo foi instaurado em maio de 2016, a partir da assinatura, em 2014, de acordo de leniência com empresas do grupo Reichhold. No mesmo ano, o Cade realizou buscas e apreensões nos escritórios das demais empresas investigadas.

De acordo com a relatora, conselheira Lenisa Prado, os envolvidos no cartel limitaram a concorrência por meio da fixação de preços de resinas e troca de informações concorrencialmente sensíveis. As condutas anticompetitivas ocorreram entre, pelo menos, 2000 e 2014. Segundo ela, o ato ilícito se prolongou por mais de uma década, gerando um elevado grau de lesão à concorrência, aos consumidores e à economia.

As multas aplicadas às duas empresas condenadas pela prática de cartel somam R$ 43,3 milhões. Já as cinco pessoas físicas deverão pagar valores que alcançam R$ 3,4 milhões. O julgamento ocorreu em 23 de março.

Acordos
Desde o início da investigação foram assinados oito Termos de Compromisso de Cessação (TCCs). Empresas e funcionários dessas companhias admitiram a participação na conduta e se comprometeram a cessar a prática e a colaborar com o órgão antitruste na elucidação dos fatos.

O Tribunal decidiu pelo arquivamento do processo em relação a nove empresas e seus funcionários que celebraram o acordo com o Cade. Os TCCs firmados nesse processo resultaram na aplicação de mais de 78,9 milhões em contribuições pecuniárias para o Fundo de Direitos Difusos do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Após o cumprimento das obrigações previstas, o Tribunal do Cade declarou extinta a ação punitiva em relação a empresas do grupo Reichhold signatárias do acordo de leniência.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen