Cade condena empresas por cartel na merenda escolar de São Paulo

Com essas evidências, o Tribunal Administrativo determinou o pagamento de multa no valor de aproximadamente R$ 340,8 milhões pela prática anticoncorrencial.

Cartéis causam dano direto ao bolso dos consumidores e aos cofres públicos. Não importa o segmento ontem atuam, sempre se locupletam com o ágio embutido na venda de ambulâncias, em obras de metrô e trem, no transporte de veículos novos, no transporte de valores e até no fornecimento de merenda escolar. Se não existir controle, seja do Estado ou da própria sociedade, os cartéis se organizam e proliferam. Alguns são punidos – de vez em quando. Em 14 de abril, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) condenou sete empresas e sete pessoas físicas por formação de cartel em licitações públicas para contratação de serviços terceirizados de fornecimento de merenda escolar no Estado de São Paulo.

A investigação conduzida pela Superintendência-Geral do Cade concluiu que as empresas e os executivos teriam trocado informações e se coordenado para fixar preços, obter vantagens nas licitações e dividir o mercado de merendas escolares nas regiões metropolitanas de São Paulo e Campinas e na região de Sorocaba. De acordo com as provas obtidas, os envolvidos no conluio mantinham reuniões periódicas para combinar e monitorar a divisão do mercado. Os encontros entre as concorrentes eram realizados na sede de uma das empresas.

Com essas evidências, o Tribunal Administrativo determinou o pagamento de multa no valor de aproximadamente R$ 340,8 milhões pela prática anticoncorrencial.

Durante a apuração, a SG/Cade utilizou dados de mais de 40 mil documentos de compras públicas, efetuadas entre os anos de 2008 e 2013, cuja análise corroborou os robustos indícios de divisão geográfica do mercado afetado, apontados inicialmente por investigação do Ministério Público de São Paulo.

Em voto-vogal, o conselheiro Luis Braido afirmou que o conjunto probatório dos autos demonstra a existência de cartel envolvendo as empresas SP Alimentação, Sistal, Geraldo J. Coan, Convida, Nutriplus e Terra Azul no Pregão 73/2006.

Com relação ao lote 2 do Pregão 08/2009, as provas demonstraram que o cartel foi formado pelas empresas SP Alimentação, ERJ e Convida.

Pelas práticas anticompetitivas, o Tribunal do Cade condenou as empresas ao pagamento de multas no valor total de R$ 333.866.546,30. Já as pessoas físicas deverão pagar, no total, R$ 6.932.194,87.

Além do pagamento de multas, as empresas também foram punidas com a proibição de participar de licitação tendo por objeto aquisições, alienações, realização de obras e serviços, concessão de serviços públicos, junto à Administração Pública Federal, Estadual, Municipal e do Distrito Federal pelo prazo de cinco anos. Também foi determinada a inscrição dos infratores no Cadastro Nacional de Defesa do Consumidor e recomendado aos órgãos públicos competentes para que não seja concedido a qualquer um dos infratores o parcelamento de tributos federais por ele devidos.

O Tribunal determinou ainda que seja enviada cópia da decisão ao Ministério Público do Estado de São Paulo e ao Ministério Público Federal (Procuradoria da República no Município de Taubaté/SP) para ciência e eventual propositura de ação para ressarcimento de danos à colevidade, bem como para a adoção das providências julgadas cabíveis na seara penal.

Com informações do Cade.
Foto: Agência Brasil

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Cade condena empresas por cartel na merenda escolar de São Paulo"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    PARABENIZO AO CADE POR SUA ATUAÇÃO EXEMPLAR, BEM COMO A ESSE PORTAL MAGNÍFICO, POR SUAS MATÉRIAS ELUCIDATIVAS.
    TODO CARTEL DEVE SER DEVIDAMENTE EXTINTO DE NOSSO PAÍS, IMEDIATAMENTE E, TODOS OS SEUS LÍDERES DEVEM SER PUNIDOS NA FORMA DAS LEIS. DOA A QUEM DOER!
    TAMBÉM DEVEM SER PROCESSADOS OS GOVERNADORES ESQUERDISTAS QUE APOIAM ESSAS FAÇÕES CRIMINOSAS, EM NOSSO BRASIL, AO LONGO DE TANTOS ANOS!
    O PODER EXECUTIVO DEVE MANDAR A PF INVESTIGAR E PRENDER TODOS OS RÉUS, IMEDIATAMENTE TAMBÉM!
    DEUS SEJA LOUVADO!
    “BRASIL ACIMA DE TUDO. DEUS ACIMA DE TODOS!”

Os comentários estão encerrados