Cade decide acabar com o monopólio do refino de petróleo no Brasil

Há males que vêm para bem. Os estragos na economia causados pela paralisação dos caminhoneiros levou o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) a enfrentar o monopólio do refino de petróleo.

O órgão criou um grupo para acabar com esse poderoso monopólio estatal. A concentração do refino de petróleo é responsável pelos altos preços dos combustíveis no Brasil. Lauro Jardim, em O Globo, revela que em setembro o grupo determinará quantas refinarias a Petrobras terá de vender.

O jornalista também informa que o monopólio do refino nos EUA teve fim em 1911, quando a Suprema Corte tomou uma decisão histórica: obrigou que a Standard Oil, então detentora de 85% do refino americano, vendesse todas as suas refinarias.

Outros cartéis devem ser enfrentados
Onde existe vida, existe esperança. Espera-se que o Cade também decida enfrentar monopólios e cartéis privados. Um deles é o cartel dos cegonheiros. Poucas transportadoras, apoiadas por sindicatos de aluguel, concentram 95,59% do mercado bilionário de transporte de veículos novos. As montadoras contribuem para esse quadro se perpetuar. Só em 2017, essa associação criminosa retirou da economia, sobretudo dos consumidores, mais de R$ 1,4 bilhão. Desde 1997, o ágio imposto aos consumidores custou R$ 10,5 bilhões.

Foto: Divulgação/Petrobras

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen