Câmara Municipal de Goiânia decide enfrentar cartéis

A gasolina vendida em Goiânia é a mais cara entre todas as capitais do País. Polícia Civil, Ministério Público de Goiás, Superintendência de Proteção aos Direitos do Consumidor (Procon) e Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) já investigam a formação de cartel no setor de revenda de combustíveis na principal cidade de Goiás. Agora, a Câmara de Vereadores também entrou na luta contra as empresas que se beneficiam com o alinhamento de preços. O vereador Carlin Café (PPS) propôs a cassação imediata e por um período de cinco anos do alvará de funcionamento dos postos flagrados em conluio com práticas cartelizantes.

O projeto de lei foi apresentado na sessão de 16 de novembro. A proposta determina que, após a cassação do alvará, a Prefeitura terá cinco dias úteis para remeter todo o processo ao Ministério Público Estadual, ao Cade, ao Ministério da Justiça e ao Procon, para que esses órgãos também tomem as devidas providências.

Preços construídos artificialmente
O vereador construiu a proposta com base nos eventos registrados na capital, onde o preço da gasolina disparou. Também ocorreu falta de combustível em dezenas de postos. Ele justificou a iniciativa:

“Indiscutível que a cartelização do setor causa graves prejuízos aos consumidores, por conta dos aumentos de preços e da restrição de oferta. Trata-se de uma situação nefasta, já que o consumidor se vê obrigado a pagar por preços construídos artificialmente, tornando esses combustíveis inacessíveis.”

Sindicato reincidente
O projeto atende solicitação de associações e sindicatos de motoristas profissionais. Segundo o vereador, Goiânia figura como uma das cidades em que foi constatada a prática de cartel. Em 2002, o Cade condenou o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Goiás (Sindiposto) por induzir vários postos da capital a combinar e aumentar preços. O Sindicato foi condenado a pagar multa de R$ 190 mil e seu presidente multado em R$ 95 mil.

Penalidades
O projeto baseia-se na legislação antitruste já existente e reforça o combate aos cartéis.

Confira as ações que podem resultar na cassação do alvará de funcionamento:
Limitar, falsear ou praticar qualquer forma que prejudique a livre concorrência ou a livre iniciativa;
Realizar acordos em torno de itens, como preços, cotas de produção e distribuição e divisão territorial para aumentar preços e lucros conjuntamente;
Acordar, combinar, manipular ou ajustar com o concorrente os preços de bens e serviços ofertados individualmente;
Elevar sem justa causa, uniforme ou concentrada, o preço de produtos (conjunto ou isoladamente) de forma a direcionar o consumo para determinado produto.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Combate aos cartéis Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen