Condenação por participação ativa em cartel pode agravar prejuízo agregado da GM

A possibilidade de o Tribunal Regional Federal da 4ª Região confirmar em segunda instância a condenação da General Motors do Brasil por participação na formação de cartel no setor de transporte de veículos novos, aliado ao pedido do Ministério Público Federal para aumentar dos atuais R$ 250 milhões para R$ 1,1 bilhão a multa por crimes contra a economia popular, pode ajudar a agravar a situação da montadora no país.

O presidente da marca no Mercosul, Carlos Zarlenga, alerta para a chance de encerramento das operações no Brasil, caso o lucro não chegue ao bolso da montadora norte-americana. O comando sequer fala sobre qualquer possibilidade de reduzir custos, já que a GM, segundo equação revelada pelo MPF, é a segunda maior do país a pagar valores superfaturados no frete dos seus veículos. O prejuízo é repassado integralmente aos consumidores.

Além da General Motors, foram condenados em 1º Grau Luiz Moan Yabiku Júnior (ex-diretor para assuntos institucionais da montadora), Associação Nacionais das Empresas Transportadoras de Veículos (ANTV) e Sindicato Nacional dos Cegonheiros (Sinaceg). Todos acusados de formação de cartel.

Autor da ação civil pública, o MPF quer aumentar as multas administrativas impostas pela Justiça Federal de 1ª Instância. Confira quadro abaixo:

O MPF também pede a extinção do Sinaceg. A entidade é acusada pelos procuradores de atuar fora do território permitido pela legislação e de desempenhar atividades ilícitas contrárias à ordem econômica.

Prejuízo continuado
A General Motors do Brasil, desde que o portal Livre concorrência vem acompanhando a evolução dos valores repassados a título de frete, surge em segundo lugar, ficando atrás apenas da FCA Fiat/Jepp. No ano passado, os compradores de veículos da marca GM amargaram um prejuízo de R$ 301 milhões, por conta do sobrepreço cobrado no valor do frete por conta da ausência de livre concorrência no setor. O atrelamento constante da montadora ao chamado cartel dos cegonheiros impede a busca de melhores condições técnicas e de preço mais competitivo. Essa submissão também ocorre em outras fábricas. A Volkswagen do Brasil, por exemplo, chegou a denunciar o cartel e 24 horas depois anunciou acordo, repassando o prejuízo aos compradores da marca.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Condenação por participação ativa em cartel pode agravar prejuízo agregado da GM"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    Prezados amigos leitores deste Portal. Fico surpreso ao ver que ainda existe em nosso País, tantos desmandos quanto ao povo brasileiro, haja vista as atuações maliciosas das Montadoras ora citadas, que atuam em conluio com as Empresas que fazem parte deste CARTEL!
    Os Consumidores finais, que trabalham o ano inteiro com seriedade, vislumbram a possibilidade de adquirir um veículo Zero KM, e quando os compram, são “roubados”, pois pagam ágil de fretes, que são repassados para as Transportadoras que superfaturaram os valores de Fretes, com as conivências especificadas!
    Até quando esta Máfia vai existir no Brasil?
    Até quando este Sindicato fraudulento vai lucrar?
    SINDICATO DE CLASSE É ENTIDADE LOCAL (ESTADUAL), E NÃO NACIONAL! JÁ ERA PARA TER SIDO FECHADO HÁ MUITO TEMPO, ESTE TAL DE SINACEG (EX-SINDICAM)!
    A FCA/FIAT/JEEP, lidera o Ranking de extorções, por estar sendo apoiada pelo Governo do Estado, haja vista nunca ter se manifestado a favor das reivindicações do Sindicato único da categoria dos Transportadores de Veículos, denominado SINTRAVEIC-PE, que por diversas vezes teve que “brigar” na Justiça, para derrubar um falso Sindicato o,plantado no Estado, com Carta Sindical Falsa. (vide matérias anteriores ref. a Sindicatos espúrios, denominado SINTRAGO, fundado e não legítimo, em Goiana-PE). Os meliantes corruptos, apoiados pela Empresa SADA, através de seu proprietário, inclusive, forjou uma Assembléia falsa, tentando eliminar a Diretoria do SINTRAVEIC-PE, com a alegação de que haviamos renunciado, mas foram derrubados devido as inverdades dos fatos!
    Por fim, é assim que agem os mafiosos integrantes do CARTEL do Setor!
    Apurem-se e condenem estes absurdos!

Os comentários estão encerrados