Curiosidade de repórter

A curiosidade faz parte do dia-a-dia do repórter. Vida de repórter é assim. Pergunta pra um, indaga pra outra, questiona um terceiro, uma quarta… e por aí vai. Minha vida profissional também é assim. A curiosidade está no sangue dos jornalistas. Parte indissociável do DNA. E por acompanhar por anos a fio o vai-e-vem de pessoas e empresas, principalmente no setor de transporte de veiculos novos, o que incomoda sobremaneira os integrantes do cartel dos cegonheiros, é que minha curiosidade fica cada vez mais aguçada frente aos acontecimentos dos últimos anos.

Fico deveras curioso pra saber como deverão se comportar certas pessoas e um “seleto” grupo de advogados que também acompanham e trabalham no movimentado setor, só que do outro lado. Refiro-me às acusações feitas, por exemplo, a Afonso Rodrigues de Carvalho e levadas por escrito, à autoridade policial de Betim (MG), o que acabou se transformando num inquérito policial. Em nome de Vittorio Medioli, advogados escreveram que Afonso Rodrigues de Carvalho faz parte de uma organização criminosa que visa a denegrir a imagem do político e empresário. Depois do acordo milionário envolvendo os dois – acusador e acusado – o que será que irão dizer?  Que na verdade Afonso era um anjo travestido de algoz? Quem está, afinal das contas, enganando quem?

É imperioso que a autoridade policial consiga descobrir quem está sendo beneficiado com esse vai-e-vem. Seriam ambos? Um comprou caminhões do outro, deu-lhe “trabalho” em suas empresas de transporte. De uma hora para outra. Mas por qual motivo teria concedido vagas milionárias de transportador para quem lhe atacou por cerca de 20 anos? Certamente não foi apenas pela assinatura em uma escritura pública. Afonso de Carvalho foi mais além….. muito além. Passou a praticar ações que ele mesmo denunciou em vídeo postado nas redes sociais. Em outras palavras, afirmou que o cartel age assim, dá vagas e depois cobra. Talvez só o tempo poderá saciar essa minha curiosidade de repórter.

Chegou ao nosso conhecimento aqui na redação, que pelo menos dois cegonheiros-empresários ajuizaram queixas-crime em desfavor de Afonso de Carvalho, nas quais o acusam de calúnia, injúria e difamação. Além deles, o Sindicato “Nacional” dos Cegonheiros, mais conhecido como Sinaceg – condenado em segunda instância por formação de cartel – também ajuizou ação por calúnia, injúria e difamação, em desfavor de Afonso, parafraseando bacharéis em Direito. Será que no próximo capítulo haverá revelação por parte dos autores das queixas-crime de que na verdade as ações foram um engano, ou que o inimigo do passo é o amigo da atualidade? Estou muito, mas muito curioso mesmo.

MPF parece que não está investigando quem efetivamente pagou para que um cegonheiro-empresário mudasse o depoimento
Num outro campo essa mesma curiosidade se estende. O Ministério Público Federal de São Bernardo do Campo investiga outra troca de posição relacionada à mudança de postura em depoimentos. Nesse caso trata-se de José Carlos Rodrigues, mais conhecido como Pernambuco. E minha curiosidade volta à tona. Lá pelas tantas, o depoente – segundo material apreendido por policiais federais em diligência criminal, na sede de uma transportadora de São Paulo – afirma que na verdade, quem cumpriu o acordo de pagar-lhe R$ 2 milhões e conceder vaga de transportador, em troca de mudança de depoimento, foi a Brazul Transporte de Veículos, empresa controlada pela Sada e de propriedade de Vittorio Medioli.

Esse fato igualmente aguçou minha curiosidade. Mas o MPF está investigando possíveis irregularidades no depoimento dado por Pernambuco à Polícia Federal e à Justiça do Rio Grande do Sul? E não está investigando quem efetivamente teria dado dinheiro e vaga de transportador para que o cegonheiro-empresário mudasse o teor do seu depoimento?

Confesso que, após o vazamento do vídeo da conversa entre o procurador e seu analista, minha curiosidade de repórter ficou mais intensa. Também o tempo deverá ser o responsável para saciar-me. E quem sabe, num futuro não muito distante, possa voltar a escrever e contar a vocês, leitores fiéis do site Livre Concorrência, como essas curiosidades foram respondidas.

Ivens Carús – Editor

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Curiosidade de repórter"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    É INACREDITÁVEL MESMO, COMO AGE A JUSTIÇA DOS HOMENS.
    EXISTEM OS RÉUS, AS VÍTIMAS E SEUS RESPECTIVOS ADVOGADOS, QUE SEMPRE SÃO MUITO BEM PAGOS PELOS RÉUS E, OS QUE DEFENDEM AS VÍTIMAS, QUE NEM SEMPRE SÃO TÃO BEM PAGOS ASSIM.
    DAÍ, CONSEGUEM ATÉ MESMO CORROMPER ALGUMAS VÍTIMAS QUE SE CORROMPERAM, TRANSFORMANDO-SE EM PESSOAS MUITO PIORES QUE OS CORRUPTORES, NÃO É MESMO?
    FATO ESSE QUE OCORREU COM UM OU MAIS ACUSADORES QUE ATUARAM, POR MAIS DE 20 ANOS, ATACANDO O GRANDE RÉU, LÍDER DESSA FACÇÃO CRIMINOSA (CARTEL DOS CEGONHEIROS). QUE NEM PRECISAMOS MAIS CITAR SEU NOME.
    PARECE ATÉ PIADA, MAS NÃO É!
    TAIS ACUSADORES FORAM MUITO BEM PAGOS, PARA MUDAREM SUAS VERSÕES ORIGINAIS.
    TUDO ISSO JÁ FOI DEVIDAMENTE INVESTIGADO E, REALMENTE CAUSARAM MUITAS CURIOSIDADES AO JORNALISTA EM QUESTÃO, QUE ATÉ TENTARAM CORROMPER TAMBÉM, MAS DEVIDO À SUA INTEGRIDADE MORAL E CÍVICA, O IMPEDIRAM DE SE ALIAR E, ELE É ATACADO ATÉ HOJE, NÃO SÓ PELO LÍDER, MAS TAMBÉM PELAS “VÍTIMAS”, QUE SE CORROMPERAM.
    AOS INVESTIGADORES DESSAS AÇÕES, RESTA AGORA APENAS FINALIZAR ESSAS QUESTÕES, PUNINDO NA FORMA DAS LEIS CONSTITUCIONAIS. PONTO FINAL PRA TODOS ELES.
    SÓ NOS RESTA PARABENIZAR E MUITO, O EDITOR CHEFE DESSE BRILHANTE PORTAL, QUE SEMPRE DIVULGOU TODAS AS VERDADES DOS FATOS EM SUAS MATÉRIAS.
    VAMOS AGUARDAR AS SENTENÇAS FINAIS, EM PROL DE UM PAÍS MELHOR!
    QUE SEJA BREVE!
    PRA FRENTE BRASIL!

Os comentários estão encerrados