Decisão unânime dos desembargadores pode levar à execução provisória da sentença

Está nas mãos da desembargadora federal Vivian Josete Pantaleão Caminha, relatora, a decisão sobre o que deverá ocorrer com os quatro condenados por formação de cartel no Rio Grande do Sul. O julgamento do próximo dia 24 é de mérito. Caso a 4ª Turma decida por unanimidade pela confirmação ou anulação da sentença de primeiro grau, as chances de recurso caem no TRF4.

Depois de votado o relatório da magistrada pelos outros dois desembargadores integrantes da turma, a definição sobre a execução provisória da sentença deverá ser decidida na mesma sessão. Os chamados embargados de declaração, poderão ser opostos. As mudanças no Código de Processo Civil acabaram com a figura dos embargos infringentes e criou, segundo o artigo 942, o “colegiado qualificado”, mas só em casos de haver discordância no julgamento. As apelações estão no TRF4 desde 21 de fevereiro de 2017.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen