Depois de mais de duas décadas, Cade deve analisar mais uma vez a compra da Garoto pela Nestlé

Em 2004, o órgão antitruste vetou a fusão, dando início a um imbróglio na Justiça que se estendeu até 2021, quando o então presidente do Cade, obedecendo decisão do TRF-1, determinou a reabertura do caso.

Solaris Energia Solar - whatsapp (51) 984326475

De Brasília

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) deverá voltar a analisar a compra da Garoto pela Nestlé, consumada em 2002. Em 2004, o órgão antitruste vetou a fusão. A Nestlé recorreu à Justiça e, um ano depois, conseguiu suspender a resolução do Cade. Em 2009, a decisão favorável à fábrica de chocolate foi anulada. Na ocasião também ficou determinado que a autarquia analisasse novamente o ato de concentração.

A batalha jurídica avançou. Carolina Brígido, do UOL Notícias, informa que a Nestlé seguiu recorrendo. Em 2018, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) confirmou que o Cade precisaria reabrir o processo. Em 2021, Alexandre Barreto de Souza, então presidente do órgão, determinou a abertura do caso, com nova instrução.

Há 21 anos, quando ocorreu a fusão, a Nestlé atendia 34% do mercado de chocolate no país. Após o negócio, a participação da empresa subiu para 58%.

Imagem de Marjon Besteman / Pixabay.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen