Em 2019, MPF pediu condenação da ANTV por litigância de má-fé processual

A chicana jurídica promovida para livrar a Associação Nacional das Empresas Transportadoras de Veículos (ANTV) da extinção e da condenação por formação de cartel, além do pagamento de multa no valor de R$ 5 milhões, penas impostas pela Justiça Federal no Rio Grande do Sul, já levara o Ministério Público Federal (MPF) a pedir a punição da entidade por litigância de má-fé processual. Em agosto de 2019, o procurador regional da República da 4ª Região, Juarez Mercante (foto de abertura), acusou os representantes da ANTV de tentarem “obstar o andamento do processo” com excesso de demandas protocoladas no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).

Na manifestação do MPF encaminhada ao TRF-4 em 22 de agosto, Mercante reproduziu o Artigo 80 do Código de Processo Civil:

“Considera-se litigância de má-fé aquele que (I) deduzir pretensão ou defesa contra texto expresso de lei ou fato incontroverso; (II) alterar a verdade dos fatos; (III) usar do processo para conseguir objetivo ilegal; (IV) opuser resistência injustificada ao andamento do processo; (V) proceder de modo temerário em qualquer incidente ou ato do processo; (VI) provocar incidente manifestamente infundado e (VII) interpuser recurso com intuito manifestamente protelatório.”


O procurador ressaltou os itens IV e VI:

“Opuser resistência injustificada ao andamento do processo e provocar incidente manifestamente infundado.”

E concluiu:

“Deve a parte, portanto, ser condenada ao pagamento de multa, na forma do artigo 81 do CPC.”

Na sessão de julgamento dos recursos, a desembargadora federal Vivian Josete Pantaleão Caminha , relatora do processo no TRF-4, não acatou o pedido do MPF, por achar que o modo de agir da ANTV não interferiu no resultado do processo.

Condenação confirmada por unanimidade
Vale lembrar que os desembargadores da 4ª Turma do TRF-4 mantiveram por unanimidade sentença proferida em 1ª Instância. Além da ANTV, outros três réus foram condenados por formação de cartel no setor de transporte de veículos novos: General Motors do Brasil, Luiz Moan Yabiku Júnior (diretor da montadora na época) e o Sindicato Nacional dos Cegonheiros (Sinaceg, ex-Sindicam).

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Em 2019, MPF pediu condenação da ANTV por litigância de má-fé processual"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    O ÚNICO COMENTÁRIO CABÍVEL PARA ESSA MATÉRIA É ESSE: A ANTV FOI CONDENADA, É RÉ? ENTÃO QUE PAGUE!
    CHEGA DE CARTEL! E,
    CHEGA DE SINDICATO QUE AGE DE FORMA INCONSTITUCIONAL E QUE ATUA COMO “BRAÇO-FORTE” DO CARTEL!
    O NOSSO BRASIL AGORA ESTÁ SOB NOVA DIREÇÃO: “BRASIL ACIMA DE TUDO. DEUS ACIMA DE TODOS!”
    QUE TODOS OS RÉUS SEJAM DEVIDAMENTE PUNIDOS, NA FORMA DAS LEIS E, PRINCIPALMENTE QUE NÃO CAIBAM MAIS RECURSOS JURÍDICOS, PARA MANTER O CARTEL ATIVO, BEM COMO ÁS TRANSPORTADORAS DE VEÍCULOS VINCULADAS AO MESMO!
    QUE SEJAM DEVIDAMENTE FECHADOS POR ORDENS JUDICIAIS!
    DOA A QUEM DOER!

Os comentários estão encerrados