Em campanha para Presidência da República, Álvaro Dias e Vittorio Medioli vão a bloqueio de caminhoneiros e manifestam apoio à greve

Um dia depois de apoiar a greve dos caminhoneiros em uma postagem nas redes sociais e reforçar a suspeita de locaute na paralisação dos caminhoneiros, Vittorio Medioli aparece em outro vídeo gravado em um bloqueio na região Metropolitana de Belo Horizonte. Desta vez, o empresário e prefeito de Betim (MG), dono do grupo Sada, não está sozinho. Ele e o pré-candidato pelo Podemos à Presidência da República, Álvaro Dias, foram flagrados discursando para caminhoneiros fora da época eleitoral permitida pela legislação.

[wpvideo tRWVWMa8]

Medioli voltou a criticar o governo federal:

“Quem não tem condições de ficar na estrada e sustentar a família tem de dar o recado. Eles (o governo) têm que fazer uma política que atenda todo mundo.”

Um dos manifestantes chegou a pedir para Medioli instalar um banheiro químico no local:

“Prefeito, tem como fazer uma gentileza? Instalar um banheiro químico aqui. A gente tem que ir até no posto lá…”

O caminhoneiro foi interrompido por Dias, que anunciou apoio ao movimento e atacou o governo federal:

“O que revolta mais, por isso apoiamos vocês inteiramente, é que estão querendo tapar o buraco que abriram com o rombo da Petrobrás. Assaltaram a Petrobras e agora querem tapar esse buraco colocando a mão no bolso dos caminhoneiros. Não foram os caminhoneiros nem o povo brasileiro que roubou a Petrobras. Que se coloque na cadeia os que roubaram a Petrobras e que se respeite o povo praticando um preço que seja condizente com as possibilidades de quem está trabalhando.”

Medioli é o coordenador da campanha presidencial de Dias em Minas Gerais. O senador paranaense aliou-se ao empresário. Quando era governador do Paraná, Álvaro Dias até tentou enfrentar o cartel dos cegonheiros. As acusações de monopólio no transporte de veículos novos, invasão de base territorial e violência contra trabalhadores paranaenses foram esquecidas. Agora, Álvaro Dias chama Medioli, acusado de chefiar a associação criminosa que controla o setor, de “nosso líder”.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Em campanha para Presidência da República, Álvaro Dias e Vittorio Medioli vão a bloqueio de caminhoneiros e manifestam apoio à greve"

  1. Luiz Carlos Bezerra disse:

    ESTAS AÇÕES DE VITTÓRIO MEDIOLLI, NÃO PODEM FICAR IMPUNES! ELE FINGE APOIAR OS CARRETEIROS, POIS A META DELE É AUMENTAR AINDA MAIS SEU MONOPÓLIO (CARTEL), E ELEVAR OS CUSTOS DE FRETES ÀS MONTADORAS, AUMENTANDO ASSIM SEU SPREAD OPERACIONAL, NO PAÍIS!!!
    AGORA APOIA A UM PRÉ-CANDIDATO À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, CERTAMENTE PARA LEVAR MAIS VANTAGENS NO FUTURO!
    ESPERO QUE O MPF, NÃO DEIXE DE APURAR ISSO!!!
    CHEGA A SER NOJENTO, UM CIDADÃO ITALIANO MANIPULANDO O POVO BRASILEIRO!!!!

Os comentários estão encerrados