Entrega de veículos que contribuem para a sustentabilidade reúne Alckmin, Zema e Medioli

Caminhões e ônibus produzidos pela Iveco foram adquiridos pelos grupos Sada e Auto Viação Nossa Senhora da Piedade. Os veículos reduzem a emissão de agentes poluentes e as operações atenderam aos requisitos do Programa de Renovação de Frotas do governo federal.

De Minas Gerais

Os grupos Sada e Auto Viação Nossa Senhora da Piedade, no Paraná, adquiriram 30 veículos fabricados na planta da Iveco localizada em Sete Lagoas (MG). A Sada, líder no mercado de transporte de veículos novos, foi responsável pela aquisição de 20 caminhões, enquanto o grupo AVNSP acabou adquirindo 10 ônibus. Os modelos, de alta tecnologia, reduzem a emissão de poluentes, especialmente gás carbônico (CO2), auxiliando na sustentabilidade do planeta. As operações foram cobertas por programa da União que oferece descontos entre R$ 33 mil e R$ 99 mil por unidade, para quem promove a renovação de frota, encaminhando, antes da compra dos novos, ônibus e caminhões com mais de 20 anos, para reciclagem em siderurgia.

A Iveco apresenta-se como  pioneira no programa de renovação de frota por meio do projeto piloto Renovar, realizado em 2022, em parceria com a concessionária Deva e com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI).  A montadora realizou nos últimos três anos um investimento de R$ 600 milhões no Complexo Industrial de Sete Lagoas e, como resultado do aporte, mantém um crescimento sustentável. Dados revelados pela fábrica indicam que no mês de julho deste ano a marca alcançou a sua maior participação de mercado no Brasil, 11,4%. Na solenidade, o presidente da marca para a América Latina, Marcio Querichelli destacou:

“Esta é uma ocasião muito importante para a Iveco, já que reforça a importância do programa de renovação de frota que promove a descarbonização e a segurança viária, além de fomentar a indústria automotiva. A presença dos representantes do poder público chancela a relevância dessa ação.”

O executivo acrescentou:

 “Sabemos das dificuldades que se impõe no mercado e entendemos que o programa de renovação de frota tem uma importância para a mobilização comercial. Mas o setor está carente de mais incentivos para passar por esse momento de introdução da nova norma de padronização de emissões, o Proconve 8 (Euro VI), além da questão do acesso ao crédito para os nossos clientes poderem investir. Estamos fazendo a nossa parte e apostando no país.”

No evento, o vice-presidente Geraldo Alckmin argumentou:

“Aqui em Minas Gerais temos quatro montadoras importantes: a Case New Holland, a Iveco, a Mercedes-Benz e a Stellantis. Essas indústrias automobilísticas de veículos leves e pesados são importantes para agregar valor, gerar empregos de salários mais altos e pesquisa e desenvolvimento.”

Já o governador Romeu Zema lembrou o passo dado para uma “economia verde”. Segundo o chefe do Executivo estadual mineiro, é preciso retirar os veículos antigos poluidores de circulação e colocar veículos mais modernos que têm uma emissão muito reduzida. “Minas Gerais foi o primeiro estado do Brasil a assinar o compromisso Race to Zero, que visa reduzir a emissão de gases de efeito estufa até 2050”, frisou.

Em Minas Gerais, segundo informa o sítio do governo, o programa prevê que para cada caminhão baixado o beneficiário terá direito a adquirir dois caminhões, sendo um zero quilômetro e outro com até dez anos de fabricação, que terão direito à isenção de IPVA também por até dez anos. Estão aptas a participar do programa as pessoas físicas ou jurídicas proprietárias de caminhões registrados no Detran-MG, com data de fabricação igual ou superior a 30 anos.

Zema acrescentou:

“Minas Gerais tem se preparado para essa transição energética, nós somos hoje, disparados, o maior produtor no Brasil de energia fotovoltaica, em um dia ensolarado nós estamos aqui com meia Itaipu de energia. Isso representa muita coisa. Os lagos das represas hidroelétricas têm recuperado os níveis, pois não estão sendo demandados. O país que não tiver responsabilidade, não vai conseguir vender os produtos. No nosso caso, temos o café, a soja, o milho entre outros produtos que são vendidos diariamente.”

De sua parte, o proprietário do grupo Sada ressaltou que o Brasil precisa acelerar o progresso de transição energética, “ou seja, realizar uma mudança estrutural que elimine o carbono da geração de energia”.

Medioli defendeu:

“O programa de renovação de frotas é urgente, sobretudo em caminhões, porque acaba se trocando uma motorização que usa o diesel B500 para o B10. É uma economia de 50% de emissões de carbono.”

O empresário e  político concluiu:

“Se a humanidade e o Brasil querem alcançar as metas de descarbonização previstas no mundo, eles têm que acelerar demais essa troca de veículos poluidores por outros modelos que poluem muito menos.”

Na cerimônia de entrega simbólica ocorrida em meados de agosto (16), participaram, além do presidente da Iveco para a América Latina, Marcio Querichelli, o vice-presidente da República Geraldo Alckmin (ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços), o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, o proprietário do grupo Sada, Vittorio Medioli, prefeito de Betim e o prefeito de Sete Lagoas, Duilio de Castro Farias.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Entrega de veículos que contribuem para a sustentabilidade reúne Alckmin, Zema e Medioli"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    É INACREDITÁVEL ESSE PARTIDO DO GOVERNO MINEIRO, APOIAR O GRANDE LÍDER DA FACÇÃO CRIMINOSA, EXISTENTE EM NOSSA NAÇÃO, DENOMINADA COMO O “CARTEL DOS CEGONHEIROS”.
    O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE BETIM-MG, VITTORIO MEDIOLI!
    DE FATO, BAIXAR OS NÍVEIS DE CONTAMINAÇÕES DA NOSSA ATMOSFERA, É IMPRESCINDÍVEL MESMO, CONCORDO EM GÊNERO NÚMERO E GRAU, MAS ENALTECER ESSE LÍDER DO CARTEL, É UM VERDADEIRO ABSURDO, HAJA VISTA OS PREJUÍZOS CAUSADOS AO BRASIL, AO LONGO DE TANTOS ANOS.
    ESSE CARTEL, ASSIM COMO TODOS OS DEMAIS AQUI EXISTENTES, DEVERIAM SER PROIBIDOS DE ATUAR E TODOS OS RESPECTIVOS “ALVARÁS DE FUNCIONAMENTO”, DESSAS TRANSPORTADORAS DE VEÍCULOS, QUE INTEGRAM O MESMO, JÁ DEVERIAM TER SIDO CANCELADOS, HÁ MUITO TEMPO!
    AGORA, SABERMOS QUE ELE (O MEDIOLI), TENHA PARTICIPADO DESSAS AQUISIÇÕES, ELEVANDO SUAS FROTAS DE CAMINHÕES CEGONHAS, É UM FATO INACEITÁVEL MESMO!
    ATÉ QUANDO O NOSSO PAÍS VAI FICAR NESSA SITUAÇÃO CAÓTICA?
    CONCORDO EM MUITO COM A REDUÇÃO DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA, MAS ENALTECER UM INVESTIGADO, NUNCA SERIA BEM VISTO PELA NAÇÃO BRASILEIRA!
    SALVEM NOSSO BRASIL, MAS APOIEM OS REAIS TRANSPORTADORAS BRASILEIRAS DE VEÍCULOS NOVOS PRODUZIDOS NO BRASIL E NÃO PELAS DESSE POLÍTICO!

Os comentários estão encerrados