Equipe técnica do Cade finaliza análise de material apreendido pela Polícia Federal na Operação Pacto

Técnicos da Superintendência-Geral da autoridade antitruste estão na fase final da análise dos documentos apreendidos pela Polícia Federal em 17 de outubro de 2019. A investigação que resultou na Operação Pacto iniciou a pedido do próprio Cade e contou com a participação do Ministério Público de São Paulo. Inquérito poderá ser transformado em Processo Administrativo e alcançar outras pessoas físicas e jurídicas, além das representadas.

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) revelou nessa quarta-feira (2) ao site Livre Concorrência que a “equipe técnica da Superintendência-Geral está finalizando a análise do material eletrônico apreendido, a fim de subsidiar a decisão acerca da continuidade (ou não) do inquérito administrativo”. A autoridade antitruste investiga desde 2016 possíveis práticas de infrações à ordem econômica envolvendo o bilionário setor de transporte de veículos novos, segmento popularmente conhecido como cegonheiros. Por conta de um acordo de leniência, o Cade solicitou à Polícia Federal a abertura de inquérito para investigar possíveis crimes contra a ordem econômica. Em 17 de outubro de 2019, houve a deflagração da Operação Pacto, que contou ainda com a participação de promotores de Justiça do Grupo de Atuação Especializado de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de São Bernardo do Campo (SP), órgão do Ministério Público de São Paulo.

De acordo com o Cade, após concluída a análise dos documentos apreendidos, caso sejam identificados indícios robustos de infração à ordem econômica, nos termos do artigo 36 da lei 12.529/2011, será instaurado processo administrativo no bojo dos autos do inquérito em andamento. O órgão antitruste também deixou claro que a instrução na esfera administrativa “é independente daquela realizada na esfera criminal, razão pela qual o trâmite das investigações pode ocorrer em ritmos diferentes”.

E destacou:

“A partir da eventual instauração de processo administrativo será constituído o polo passivo, que incluirá todas as pessoas jurídicas e físicas em relação às quais foram identificadas provas de participação na conduta.”

Empreitada criminosa
Para policiais federais, que analisaram documentos apreendidos nas buscas e apreensões que alcançaram pelo menos cinco transportadoras de veículos dos grupos Sada e Tegma, além da Transcar na Bahia e da sede do Sindicato dos Cegonheiros do Espírito Santo (SIntraveic-ES), “o cartel continua suas operações corriqueiras de ajuste de preços, fidelização de clientes, combinação de não-agressão entre as empresas participantes e loteamento do território nacional em áreas de atuação divididas, com o domínios dessas mesmas empresas”. A atuação é considerada pela Polícia Federal como uma “empreitada anticoncorrencial e criminosa”.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Equipe técnica do Cade finaliza análise de material apreendido pela Polícia Federal na Operação Pacto"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    POIS É MEUS AMIGOS QUE SEMPRE ACOMPANHAM ESSAS MATÉRIAS BRILHANTES, EDITADAS NESSE PORTAL.
    É EVIDENTE QUE SE TRATA DE UMA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA, QUE ATUA HÁ MUITOS ANOS, COM “MÃOS DE FERRO”, CONTRA AS DEMAIS TRANSPORTADORAS DE VEÍCULOS NÃO VINCULADAS AO SISTEMA CARTELISTA SIM!
    TRATA-SE DE UMA FACÇÃO PERIGOSA, QUE INCENDEIA EQUIPAMENTOS DAS TRANSPORTADORAS CONCORRENTES E INTIMAM AS MONTADORAS PARA QUE CONTINUEM SÓ APROVANDO O ESCOAMENTO DE SUAS PRODUÇÕES (VEÍCULOS ZERO KM), COM O CARTEL DOS CEGONHEIROS, POIS DO CONTRÁRIO, SEUS PRODUTOS ENTÃO PRODUZIDOS, TAMBÉM SERIAM INCENDIADOS.
    DESSA FORMA, AS LEIS CONSTITUCIONAIS DEVEM SER SUMARIAMENTE CUMPRIDAS E TODOS ESSES LÍDERES DESSA ORGANIZAÇÃO, ASSIM COMO O SINDICATO QUE SE INTITULA COMO “NACIONAL”, DE FORMA INDEVIDA, TAMBÉM DEVERIA TER SIDO PUNIDO HÁ MUITO TEMPO!
    SÓ NÃO VÊ ISSO QUEM NÃO QUER.
    PARABÉNS AOS ÓRGÃO INVESTIGADORES!
    SÓ NOS RESTA AGORA AGUARDAR O DESFECHO FINAL, CONTRA ESSA FACÇÃO!
    DOA A QUEM DOER!

Os comentários estão encerrados