Especialista espera “mão forte” do Cade para rejeitar ato de concentração que poderá dar mais poder à Brink’s

O plenário do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) deverá atuar com “mão forte” ao apreciar o ato de concentração que prevê a compra da Tecnoguarda pela Brink’s, uma das gigantes do transporte e custódia de valores no país. Essa é a opinião de um especialista consultado pelo site Livre Concorrência.
O ato de concentração será apreciado na sessão desta manhã (quarta-feira,19). Segundo previsão da fonte, embora com integrantes recém-nomeados, o plenário já se familiarizou com o funcionamento do mercado de transporte de valores no país, que vem sendo tratado há muito no âmbito da autoridade antitruste. As preocupações do Cade com o setor, sobretudo em relação à operação da Brink’s, ao que tudo indica, deverão impor restrições.
A compra de caminhões e de clientes por parte da Brink’s, por meio de aquisições, serve apenas para aumentar seu poder de concentração no mercado e reduzir a capacidade dos concorrentes, principalmente no estado do Mato Grosso. A diminuição do ambiente concorrencial traz significativos prejuízos não só à economia, mas também ao consumidor do segmento, conforme esclareceram ao Cade, por ofício, vários usuários do serviço de transporte de valores.
 

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Especialista espera “mão forte” do Cade para rejeitar ato de concentração que poderá dar mais poder à Brink’s"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    A BRINKS É UMA EMPRESA ESTRANGEIRA! SENDO ASSIM, NÃO PODE EM HIPÓTESE ALGUMA SER SOBERANA NAS OPERAÇÕES EM QUESTÃO, HAJA VISTA A EXISTÊNCIA DE EMPRESAS DE PEQUENO PORTE (BRASILEIRAS), QUE TAMBÉM PODEM E DEVEM EXERCER ESTAS FUNÇÕES. A LIVRE CONCORRÊNCIA É AMPARADA PELA LEI, LOGO, DEVE EXISTIR EM ÂMBITO NACIONAL!
    TODA E QUALQUER EMPRESA ESTRANGEIRA DEVE SER ABOLIDA TERMINANTEMENTE DE DOMINAR ESSE OU QUALQUER OUTRO SERVIÇO NO NOSSO PAÍS!
    PONTO FINAL!
    CUMPRAM-SE AS LEIS, IMEDIATAMENTE!

Os comentários estão encerrados