Extinta pela Justiça Federal por tratar-se de associação criminosa voltada para dominar mercado em que atua, sobrevida da ANTV está por um fio

A sobrevida concedida provisoriamente pelo ministro Napoleão Nunes Maia Filho, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), à Associação Nacional das Empresas Transportadoras de Veículos (ANTV) está por um fio. A entidade, extinta compulsoriamente pela Justiça Federal do Rio Grande do Sul – após ter sido condenada por participação ativa no cartel que controla o setor de transporte de veículos novos em todo o país – ajuizou conflito de competência entre duas ações civis públicas em tribunais regionais federais: uma na 4ª Região (Rio Grande do Sul) e outra na 1ª (Brasília). Por conta disso, conseguiu suspender temporariamente a execução da sentença que determina a extinção da entidade. Caso o mérito do pedido de conflito de competência seja rejeitado pelo STJ, a ANTV deverá ser extinta definitivamente. Na semana passada, o portal Livre Concorrência teve acesso com exclusividade ao parecer da subprocuradora-geral da República Denise Vinci Tulio, no qual ela pede o “não conhecimento” do conflito de competência.
A representante do Ministério Público Federal ressalta que a entidade já teve um de seus ex-presidentes condenados em ação penal por formação de cartel. A ANTV, destaca a subprocuradora, também atuou em conluio com General Motors do Brasil, Luiz Moan Yabiku Júnior (diretor da montadora à época do processo) e Sindicato Nacional dos Cegonheiros (Sinaceg, ex-Sindicam). Todos foram condenados por fixar artificialmente valor do frete de veículos novos e impedir a entrada de novas transportadoras no setor.
Mesmo condenada, a ANTV, segundo o procurador regional da República da 4ª Região, Juarez Mercante, segue agindo para evitar a entrada de novos operadores no bilionário mercado de transporte de veículos novos.
Na sentença da Justiça Federal do Rio Grande do Sul que condenou a ANTV à extinção, o juiz Altair Antonio Gregorio proferiu, em 11 de março de 2016:

“No caso dos autos, restou provado que a ANTV foi criada única e exclusivamente com a finalidade de regulação do mercado de transportes em proveito das – poucas – empresas que a compõe.”

Ao pedir o fim da ANTV, o próprio Ministério Público revelou o porquê da existência da entidade:

“Requer o MPF a desconstituição da ANTV, por tratar-se de associação cuja prática associativa está voltada para fins ilícitos com reflexos no domínio do mercado no setor de transporte, impedindo o ingresso de novos agentes econômicos no setor e liderando a atuação de suas associadas.”

Quase 20 anos de luta para acabar com cartel que controla o mercado
Ainda sobre o parecer no qual o MPF pede a rejeição do conflito de competência, a subprocuradora Denise Vinci Tulio lembra ao ministro do STJ o trabalho desenvolvido pelo MPF:

“Desde 2007, portando há mais de dez anos, vem tentando promover a abertura deste mercado, onde não há liberdade para os agentes econômicos não pertencentes à ANTV dele participarem.”

A ANTV representa os interesses de duas transportadoras que juntas controlam mais de 90% dos fretes do setor: Sada e Tegma (foto de abertura).
O portal Livre Concorrência esclarece que a atuação do MPF nesse segmento econômico  data do ano de 2000, quando o Sindicato dos Cegonheiros do Rio Grande do Sul (Sintravers) formulou a primeira denúncia oficial de formação de cartel, o que gerou a ação civil pública ajuizada em 2002. Um ano depois, uma ação penal começou a tramitar. O novo processo resultou na condenação, em 2006, de Luiz Moan Yabiju Júnior (diretor da GMB), Aliberto Alves (presidente do Sinaceg, ex-Sindicam) e Paulo Roberto Guedes (presidente da ANTV). Até hoje nenhum cumpriu as penas impostas pela Justiça Federal. Luiz Moan conseguiu a decretação de prescrição da pena.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Extinta pela Justiça Federal por tratar-se de associação criminosa voltada para dominar mercado em que atua, sobrevida da ANTV está por um fio"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    POIS É MEUS CAROS AMIGOS, QUE HÁ ANOS TENTAM ADENTRAR NAS MONTADORAS COM SUAS EMPRESAS, TAMBÉM TRANSPORTADORAS DE VEÍCULOS. O CASO É SÉRIO E JÁ FOI DEVIDAMENTE SENTENCIADO EM OUTRAS INSTÂNCIAS. A ANTV E O SINACEG, JÁ DEVERIAM ESTAR DEVIDAMENTE FECHADOS, DE FORMA DEFINITIVA, HAJA VISTA O FATO DEVIDAMENTE COMPROVADO E BRILHANTEMENTE DIVULGADO NESTE PORTAL LÍCITO; CONFORME CITADO ACIMA.
    OS RÉUS, JÁ CONDENADOS NÃO CUMPRIRAM SUAS PENAS E, ATÉ UMA FOI PRESCRITA, DEVIDO AOS DESMANDOS QUE APESAR DE SEREM LEGAIS, FEREM DIRETAMENTE AS ORDENS JUDICIAIS! ISSO É UM ABSURDO!
    MESMO ASSIM, AINDA CONFIAMOS QUE A JURISPRUDÊNCIA ATUE, DE FORMA CONTUNDENTE, BASTANDO APENAS TOMAREM AS DEVIDAS INFORMAÇÕES JÁ EMANADAS NESTE PORTAL, ONDE NADA SERIA INVERDADE!
    A TEGMA E SADA, SÃO AS MENTORAS DESTE CARTEL MALÍGNO, ISSO TAMBÉM JÁ FOI COMPROVADO PELAS RESPECTIVAS INVESTIGAÇÕES!
    POR QUÊ AINDA ATUAM NESTE NOSSO PAÍS, ATÉ OS DIAS DE HOJE? CAUSANDO SÉRIOS PREJUÍZOS FINANCEIROS À CATEGORIA (TRANSPORTADORAS DE VEÍCULOS NÃO COOPTADAS AO CARTEL), E PRINCIPALMENTE AOS CONSUMIDORES FINAIS, VISTO QUE OS VALORES DOS FRETES ABUSIVOS, SÃO REPASSADOS COMO ÁGIO, PARA QUEM ADQUIRE E ADQUIRIU SEUS VEÍCULOS NOVOS!
    TAIS PREJUÍZOS JÁ FORAM DEVIDAMENTE ELUCIDADOS PELAS MATÉRIAS ANTERIORES, TOTALMENTE VERÍDICAS!
    QUE A JUSTIÇA ATUE, NAS FORMAS DAS LEIS E, PUNAM OS RÉUS DE FORMA A QUE NÃO OS PERMITAM MAIS ATUAREM NO MERCADO.
    É NISSO QUE ACREDITAMOS!
    COM O NOVO GOVERNO FEDERAL EM AÇÃO, OS CARTÉIS DEIXARÃO DE EXISTIR!
    PRA FRENTE BRASIL!
    PARABÉNS AO REDATOR CHEFE DESTE PORTAL QUE SÓ PUBLICA AS VERDADES, NOS MOLDES CONSTITUCIONAIS!

Os comentários estão encerrados