Filho de ex-líder sindical que mudou de lado faz retratação em ação penal e paga R$ 21 mil à instituição de Anápolis

O valor de 15 salários mínimos foi definido em audiência de conciliação no juizado especial criminal e já pago à instituição localizada no bairro Recanto do Sol, na comarca de Anápolis. Ação criminal foi movida pelo empresário Sérgio Mário Gabardo e sua mãe, por ofensas disseminadas por Richard Deken de Carvalho em redes sociais.

De Goiás

Na sexta-feira (15), o Instituto Pequeno Abandonado Luz de Jesus, entidade com sede no bairro Recanto do Sol, na cidade de Anápolis (GO), recebeu uma grata surpresa em sua conta-corrente. Um depósito de R$ 21.180,00, via pagamento instantâneo de PIX. O valor foi enviado por Richard Deken de Carvalho, filho do ex-líder sindical Afonso Rodrigues de Carvalho (foto de abertura/Arquivo LC), que após duas décadas denunciando a formação de cartel no setor de transporte de veículos novos mudou de lado em 2021, quando firmou acordo milionário com Vittorio Medioli, prefeito de Betim (MG) e proprietário do grupo Sada. A contribuição não foi espontânea porque fez parte de acordo em ação penal movida pelo empresário Sérgio Mário Gabardo e sua mãe, A. P. G., contra Richard, por ofensas lançadas em redes sociais que atingiram a honra, segundo a petição inicial, dos dois autores da ação, filho e mãe, depois de Afonso ter deixado a Transportes Gabardo, empresa para a qual prestou serviços durante quase 20 anos.

A ação foi ajuizada em 2022 pelo proprietário da Transportes Gabardo e sua mãe, no Juizado Especial Criminal de Anápolis, e a audiência que resultou no acordo entre as partes ocorreu no dia 4 de março deste ano. Além do pagamento a instituição indicada pelo promotor de Justiça Lucas Danilo Vaz Costa Júnior, que participou da sessão comandada pelo juiz Alessandro Manso e Silva, Richard comprometeu-se a formalizar retratação expressa sobre os comentários postados à época, e a “não mais reproduzir comentários por qualquer meio, que possam ser considerados ofensivos aos querelados”. Na audiência, Richard de Carvalho também concordou em “publicar, em cinco dias, nos mesmos veículos de comunicação, os termos da  presente retratação”.

Sobre a contribuição pecuniária, o magistrado ressaltou:

“Ainda a composição dos danos resultantes da infração penal noticiada, a título daquilo que atingiu o âmago e a história de vida do querelante (Sérgio Gabardo e sua mãe), o querelado (Richard) concederá à prestação pecuniária na quantia de quinze salários-mínimos vigentes com destinação à entidade assistencial Instituto Pequeno Abandonado de Jesus.”

Ao final da decisão, o magistrado declarou homologado o acordo por sentença, e declarou “extinta a punibilidade” do réu Richard Deken de Carvalho. Todas as oito imposições feitas pelo juízo foram cumpridas pelo agora ex-réu.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Filho de ex-líder sindical que mudou de lado faz retratação em ação penal e paga R$ 21 mil à instituição de Anápolis"

  1. Luiz Carlos Bezerra disse:

    Pois é amigos que sempre acompanham essas brilhantes matérias postadas nesse Portal da Livre Concorrência.
    Fica então decretado o fim da linha para esse traíra e todos de sua família, pois ele foi no passado apoiado pelo proprietário da Transportadora Gabardo, que o considerou como um filho, dando o poder de atuar em conjunto, para destruir o “Cartel dos Cegonheiros”, mas ele optou a ser corrompido. Só não viu isso quem não quis enxergar mesmo!
    Atualmente, ele tem tentado ser o Presidente do Sindicato da Facção Criminosa, denominado como SINACEG, mas certamente será barrado também por lá.
    Só temos é que parabenizar as sentenças Judiciais que obrigaram a ele a ceder e pagar essas penalidades ora apontadas acima.
    Quem trai não merece nenhum perdão mesmo!
    Nossa Nação Brasileira merece ser respeitada.
    Nada mais a comentar!

Os comentários estão encerrados