Gaeco arquiva investigação sobre suposto envolvimento de cinco pessoas com cartel dos cegonheiros

O procedimento investigatório estava em andamento no núcleo ABC há pelo menos oito anos. Promotores decidiram encerrar as investigações e arquivar o conteúdo. Comunicado foi enviado aos investigados e confirmado pela Assessoria de Comunicação Social do Ministério Público de São Paulo.

De São Paulo

(Atualizada às 13h24min) – O núcleo ABC do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de São Bernardo do Campo (SP) decidiu arquivar o Procedimento Investigatório Criminal (PIC 03/2015), em andamento há oito anos na unidade especializada do Ministério Público de São Paulo. O comunicado foi feito aos investigados e confirmado pela Assessoria de Comunicação Social do MPSP ao site Livre Concorrência. Consta da justificativa dos promotores o fato de que os supostos crimes “já foram apurados tanto por este Gaeco ABC e por outros órgãos com poder investigativo, bem como continuam sendo investigados em outros feitos”. Cinco pessoas estavam no centro das investigações: os presidentes do Sindicato Nacional dos Cegonheiros (Sinaceg), José Ronaldo Marques da Silva, o Boizinho; do Sindicato dos Cegonheiros do Rio de Janeiro (Sintrav-rj), Jardel de Castro e do Sindicato dos Cegonheiros do Espírito Santo (Sintraveic-ES), Waldelio de Carvalho dos Santos. Além deles, o proprietário do grupo Sada, Vittorio Medioli, e Gennaro Odone, ex-presidente da Tegma Gestão Logística, que deixou o cargo após a deflagração da Operação Pacto (17 de outubro de 2019).

O procedimento arquivado foi instaurado em setembro de 2015, tendo como objetivo, segundo o Gaeco, “apurar eventual prática de crimes de organização ou associação criminosa, formação de cartel, falsos documentais e tributários e lavagem de dinheiro, cometidos desde o ano de 2011 até a presente data, no município de São Bernardo do campo-SP, por exploradores de transporte de veículos novos a serem identificados”. Quanto ao procedimento arquivado, a Assessoria de Comunicação Social do MPSP ressaltou que “a investigação relacionada ao PIC 03/15 tramita em sigilo tanto administrativa quanto judicialmente”.

Tem a chancela do Gaeco em São Bernardo do Campo (SP) pelo menos duas ações penais envolvendo integrantes do cartel dos cegonheiros. Na mais antiga, ajuizada em 2012, 13 réus respondem por formação de cartel e associação criminosa. Dois deles já faleceram. Na mais recente, de 2019, também envolvendo o cartel dos cegonheiros, representantes do MPSP denunciaram outras nove pessoas acusadas dos mesmos crimes, formação de cartel e associação criminosa. A ação é fruto da investigação conjunta (Gaeco, Polícia Federal e Cade). A PF, após a deflagração da Operação Pacto, indiciou 12 pessoas, mas só nove foram denunciadas à Justiça. Numa terceira frente, também com participação do Gaeco e do Cade, a Polícia Federal deflagrou a Operação Ciconia, nova fase da Pacto. Houve quebra de sigilo telefônico e telemático e foram realizadas diligências criminais de busca e apreensão em três estados, São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso. Os policiais federais analisam os documentos apreendidos. Não há prazo para que o relatório final seja enviado ao MP e à Justiça.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Combate aos cartéis Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Gaeco arquiva investigação sobre suposto envolvimento de cinco pessoas com cartel dos cegonheiros"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    PREZADOS AMIGOS, CONTRA OS FATOS NÃO HÁ RESISTÊNCIAS.
    O GAECO ESTÁ CERTÍSSIMO, POIS NÃO PODEM JULGAR ESSES FATOS, EM DUPLICIDADE.
    OS RÉUS DESSAS AÇÕES JAMAIS SERÃO INOCENTADOS, POIS DE FATO ELES FAZEM PARTE DESSA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA, HÁ MUITO TEMPO E, JÁ EXISTEM FATOS COMPROVADOS SOB O MESMO JULGAMENTO NA CORTE SUPREMA DE NOSSA NAÇÃO, QUE ESTÃO SENDO APURADAS SOB SIGILO ABSOLUTO.
    SALVEM O NOSSO PAÍS!
    EXTERMINEM ESSE CARTEL DA NOSSA PÁTRIA AMADA, BEM COMO O TAL DE “SINACEG”, QUE SE INTITULA COMO “NACIONAL”, DESCUMPRINDO AS LEIS CONSTITUCIONAIS TAMBÉM, POIS SINDICATOS DE CLASSE, SÓ PODEM ATUAR EM SEUS ESTADOS DE ORIGEM.
    NADA MAIS A COMENTAR.
    A LUTA É GRANDE, MAS A VITÓRIA É CERTA!

Os comentários estão encerrados