General Motors e ANTV silenciam no STJ em recurso do Sinaceg

Andamento processual no Conflito de Competência suscitado pelo Sinaceg expõe falta de interesse jurídico da montadora norte-americana e da ANTV, extinta por decisão judicial.

Os embargos de declaração, medida ajuizada pelo Sindicato dos Cegonheiros de São Paulo (Sinaceg), não despertou interesse da General Motors do Brasil e da Associação Nacional das Empresas Transportadoras de Veículos (ANTV). O prazo para que ambas se manifestassem, segundo o Superior Tribunal de Justiça (STJ), expirou no dia 6 deste mês. O Sinaceg, tido pela Polícia Federal e Ministério Público Federal como o braço político da organização criminosa que controla com mãos de ferro o setor de transporte de veículos novos em todo o país, não se conforma com a decisão do ministro Manoel Erhardt (desembargador convocado do TRF-5). Em 22 de abril, o ministro negou a liminar para suspender os efeitos da decisão do TRF-4, que manteve a sentença de 1ª instância, condenando quatro réus por formação de cartel, o chamado cartel dos cegonheiros.

Na decisão, Erhardt (foto de abertura) apontou didaticamente a diferença entre as duas ações (TRF-4 e TRF-1) que o Sinaceg pretendia transferir para o tribunal com sede em Brasília. Segundo o ministro, a que tramita no TRF-1, busca a invalidação de ato administrativo exarado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), que arquivou apuração de ofensa à ordem econômica. Já no caso do TRF-4, o objeto é a comprovação de que as rés (ANTV, GM, Luiz Moan e Sinaceg), “em conluio, ofenderiam de maneira constante e reiterada, a ordem econômica, mediante a monopolização do setor, pretendendo a abertura do mercado, com a contratação de novos agentes econômicos não integrantes do dito cartel”.

No gabinete do ministro Erhardt, também está aguardando decisão embargos de declaração impetrados pela ANTV. A entidade, a exemplo do Sinaceg, ajuizou medida idêntica. No ano passado, o então ministro Napoleão Nunes Maia Filho chegou a conceder liminar, mas acabou cassando a medida tão logo recebeu manifestação da Procuradoria-Geral da República, comprovando a falta de legitimidade da associação. A fraude processual foi denunciada pelo site Livre Concorrência. A ANTV foi extinta por decisão da Justiça Federal do Rio Grande do Sul, segundo a sentença, por tratar-se de entidade criada com a finalidade de cometer ilícitos, a exemplo do monopólio no setor de transporte de veículos novos.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "General Motors e ANTV silenciam no STJ em recurso do Sinaceg"

  1. Luiz Carlos Bezerra disse:

    Pois é meus caros leitores desse magnífico Portal.
    Tendo em vista todas as sentenças então aplicadas contra essa Organização Criminosa, denominada Cartel dos Cegonheiros, que existe sim, e atua no mercado afim, há muitos anos. Tendo causado prejuízos não só aos Cofres Públicos e principalmente aos Consumidores finais, que jamais serão reembolsados. Prejudicaram também e muito, as demais Transportadoras de Veículos, evitando que as mesmas pudessem participar desses transportes, ao longo de tantos anos, tendo que fechar suas portas por esses motivos.
    Cumpram-se as Leis, imediatamente!
    Vamos agora só aguardar os desfechos finais!
    “Brasil acima de tudo. Deus acima de todos!”
    Doa A quem doer!

Os comentários estão encerrados