GM repete Ford no Brasil e fecha fábricas na Colômbia e no Equador

Na sexta-feira (26), a GM anunciou a demissão de 850 trabalhadores da Colmotores, em Bogotá, de onde saía a geração anterior dos Chevrolet Onix e Prisma, conhecidos como Joy e Joy Plus.

De São Paulo

Na última terça-feira (30), a General Motors anunciou o fechamento de fábricas instaladas na Colômbia e Equador. A montadora assegurou que seguirá nos dois mercados como importadora de veículos. O processo assemelha-se ao que a Ford adotou no Brasil, quando encerrou suas atividades locais de manufatura, em janeiro de 2021.

Em nota, a montadora explica que já iniciou o processo na Colômbia. No Equador as operações serão encerradas no final de agosto:

“As medidas vão permitir que a empresa esteja mais bem posicionada para oferecer aos seus clientes de veículos, tecnologias e serviços mais avançados. O processo de encerramento das operações de manufatura na fábrica Colmotores na Colômbia já se iniciou. Na fábrica OBB no Equador, as operações de manufatura serão encerradas no final de agosto.”

GM atuará nesse países como importadora. A nota avança:

“Com isso, a GM passa a atuar nestes respectivos países em um modelo de negócio exclusivamente comercial, suportado pela excelência nos serviços de vendas e pós-vendas da rede de concessionárias.”

E conclui:

“A decisão permitirá que a empresa alcance maior competitividade na América do Sul, garantindo sustentabilidade para o futuro. Os investimentos recentemente anunciados pela empresa no Brasil vão acelerar a mobilidade sustentável na região por meio da renovação do portfólio, desenvolvimento de tecnologias inovadoras, evolução das operações e criação de novos negócios.”

Segundo a agência Reuters, tanto a operação da Colômbia quanto do Equador, onde a OBB, Ómnibus BB Transportes, opera em Quito desde 1975, estavam com capacidade instalada funcional de apenas 9% e 13%, respectivamente. Na sexta-feira (26), a GM anunciou a demissão de 850 trabalhadores da Colmotores, em Bogotá, de onde saía a geração anterior dos Chevrolet Onix e Prisma, conhecidos como Joy e Joy Plus.

Segundo o site UOL, as fábricas de Bogotá e Quito são pertencentes à General Motors desde 1979 e 1982, respectivamente.

Ainda segundo o portal, das seis fábricas que a marca a marca mantém, cinco estão no Brasil.
Com os dois fechamentos, a GM segue na América do Sul com suas cinco fábricas no Brasil – Gravataí (RS), Joinville (SC), Mogi das Cruzes (SP), São Caetano do Sul (SP) e São José dos Campos (SP) – e com sua única na Argentina, em Rosário.

Foto: Divulgação/GM

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "GM repete Ford no Brasil e fecha fábricas na Colômbia e no Equador"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    POIS É, NOBRES AMIGOS QUE SEMPRE ACOMPANHAM ESSAS BRILHANTES MATÉRIAS.
    ESSAS MONTADORAS SÓ PENSAM EM LUCRAR MESMO E, SEUS PRODUTOS POR MELHOR QUE SEJAM, SEMPRE ACONTECEM FALHAS NAS SUAS ESTRUTURAS, POIS AS PEÇAS DE REPOSIÇÕES SÃO DE VALORES MUITO ELEVADOS TAMBÉM.
    VAMOS VER O QUE ISSO TUDO RESULTARÁ, POIS FALHAS MECÂNICAS ACONTECEM COM TODOS OS VEÍCULOS ENTÃO FABRICADOS E AS CONCORRÊNCIAS PARA SUAS VENDAS SÃO GRANDES!
    O PIOR DE TUDO ISSO, É SABERMOS QUE OS PROFISSIONAIS QUE ATUAM NESSAS MONTADORAS, SÃO DEMITIDOS, CAUSANDO SÉRIOS DANOS FINANCEIROS AOS MESMOS.

Os comentários estão encerrados