Grupo Sada ataca o editor do site e não explica participação no rateio das despesas do movimento a favor do cartel

Em nome de Vittorio Medioli, advogado de empresas investigadas pela Operação Pacto diz não reconhecer o editor do site Livre Concorrência como jornalista. Tampouco esclarece o envolvimento das empresa do grupo Sada no financiamento de greve para perpetuar ação do cartel dos cegonheiros no setor de transporte de veículos novos.

Sobre o conteúdo de documentos apreendidos pela Polícia Federal na sede da transportadora Brazul, de propriedade do político e empresário Vittorio Medioli (foto de abertura, da Operação Pacto), o diretor jurídico do grupo Sada, Leonardo Guimarães Pereira, respondeu ao site Livre Concorrência por meio de e-mail:

“Em resposta à mensagem enviada ao Sr. Vittorio Medioli nesta segunda – 24/01, o Grupo Sada informa que não o reconhece como jornalista, senão como um preposto financiado pela Transportes Gabardo para veicular, agora no site Livre Concorrência, reiteradas matérias pejorativas contra o Grupo Sada, seu fundador e as empresas que o compõem.”

Ele acrescentou:

“Por essa razão, o Grupo Sada não responderá quaisquer de suas indagações, até por saber, de antemão, que elas se prestarão apenas a alimentar matérias distorcidas destinadas, uma vez mais, à tentativa de macular a sua imagem.”

E concluiu:

“Ademais disso, e em respeito aos órgãos públicos envolvidos e seus representantes, O Grupo Sada jamais comentará investigações ou processos em andamento, limitando-se, quanto a eles, a se manifestar nos autos, se e quando for o caso.”

Para finalizar, o advogado voltou a ameaçar o jornalista:

“O grupo Sada esclarece que vem buscando em Juízo os direitos que vossa senhoria [jornalista Ivens Carús] desrespeita írrita e sistematicamente.”

Operações perigosas
Além dos repasses ao Sinaceg, o e-mail apreendido pelo Polícia Federal denuncia outras operações financeiras do cartel dos cegonheiros que ainda precisam ser esclarecidas. O que mais chama a atenção é a rubrica “segurança em geral (civil, militar, outros)”, cujos valores somam R$ 144,7 mil, dos quais R$ 55 mil teriam se destinado à Polícia Civil. Gastos com escolta contabilizaram R$ 341,3 mil. Tem ainda R$ 5,1 mil ao lado da inscrição Polícia Rodoviária Federal.

Sobre jornalistas, o material apreendido também revela repasse de R$ 12,3 mil a jornalista e a contratação de uma escavadeira por R$ 4 mil. Veja abaixo reproduções do e-mail apreendido pela Polícia Federal na sede da Brazul Transporte de Veículos, empresa do grupo Sada:

Folha 1.897

Folha 1.896

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Grupo Sada ataca o editor do site e não explica participação no rateio das despesas do movimento a favor do cartel"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    HÁ, HÁ, HÁ!
    É CLARO QUE ELES JAMAIS ADMITIRIAM RESPONDER A INDAGAÇÕES FEITAS POR ESSE SR. IVENS CARÚS (EDITOR CHEFE DESSE PORTAL LÍCITO), ALÉM DO MAIS, NÃO O CONSIDERANDO COMO UM JORNALISTA, APESAR DELE SER HONRADO E MUITO SÉRIO EM SEUS POSICIONAMENTOS, POIS SÓ EDITOU AO LONGO DE TANTOS ANOS, MATÉRIAS COMPROVADAMENTE VERDADEIRAS!
    SÓ FALTOU O TAL ADVOGADO, DIZER QUE O “ITALIANO”, SERIA UM CIDADÃO BRASILEIRO E, QUE NUNCA TERIA CORROMPIDO NINGUÉM PARA SER ENTÃO APOIADO POR QUEM QUER QUE SEJA. (UMA PIADA, NÃO É MESMO)?
    AS PERGUNTAS QUE FICAM NO AR É: – 1 – SERÁ QUE ELE É ADVOGADO TAMBÉM? E, – 2 – SERÁ QUE A PF TAMBÉM FORJOU ESSAS PROVAS?
    O SIMPLES FATO DE NÃO TER RESPONDIDO AS INDAGAÇÕES DO EDITOR CHEFE DESSE PORTAL, SERIA PARA NÃO CONFESSAR QUE OS CRIMES REALMENTE EXISTIRAM, CARACTERIZANDO O CHAMADO: “RÉU CONFESSO!”. SEM DIREITO A DEFESA!
    FATOS COMPROVADOS, JAMAIS SERÃO BURLADOS!
    NA REALIDADE, A RESPOSTA DELE AO SR. IVENS CARÚS, (COM ESSES ATAQUES INFUNDADOS), JÁ CONFESSA A REALIDADE DESSES FATOS.
    ACREDITEM QUEM QUISER!
    CUMPRAM-SE AS LEIS, IMEDIATAMENTE!

Os comentários estão encerrados