Justiça capixaba nega liminar a transportadora bloqueada pela Tegma e Sintraveic, dois alvos da Operação Pacto

Justiça capixaba nega liminar a transportadora bloqueada pela Tegma e Sintraveic, dois alvos da Operação Pacto.

Transtavella & Bianconi, transportadora agregada à Tegma Gestão Logística, teve pedido de liminar negado pela Justiça capixaba e permanece com duas frotas (caminhões-cegonha) bloqueadas. Transportadora sofre represálias por denunciar e não querer participar do rateio de R$ 12 milhões cobrado pelo sindicato dos cegonheiros do Espírito Santo (Sintraveic-ES), destinado a pagamento de honorários advocatícios.

A Justiça de Serra (ES) negou o pedido de liminar formulado pela empresa Transtavella & Bianconi Transportes para desbloquear duas frotas – caminhões-cegonha – agregadas à Tegma Gestão Logística, um dos alvos da Operação Pacto, deflagrada em outubro de 2019. A transportadora também busca indenização de R$ 2 milhões pelo que considera danos morais. De acordo com o pedido, atualmente cada frota – vaga de transportador – tem um valor pecuniário “estimado no mercado de transporte de veículos de R$ 1 milhão em determinadas épocas, e não inferior a R$ 700 mil em qualquer época”. Recurso contra a decisão de 1º grau foi ajuizado no Tribunal de Justiça do Espírito Santo.

A discussão judicial iniciou no ano passado, após a Transtavella manifestar discordância em descontar 10% sobre o faturamento bruto a ser encaminhado ao Sitnraveic-ES, até alcançar o montante de R$ 200 mil. Os recursos, de acordo com a transportadora capixaba, são destinados ao custeio de honorários advocatícios para a defesa do sindicato e de diversos integrantes, incluindo o presidente Waldelio de Carvalho Santos, envolvidos em investigações sobre incêndios criminosos em caminhões-cegonha de empresas concorrentes às do chamado cartel dos cegonheiros.

A entidade patronal exigiu R$ 200 mil de cada uma das 60 frotas – caminhões-cegonha – associadas. O total a ser arrecadado chegará aos R$ 12 milhões. Quem discorda tem seus carregamentos bloqueados pela Tegma, por determinação do Sintraveic-ES, controlador absoluto das cargas. A empresa deverá ingressar com representação contra a entidade patronal no Ministério Público do Trabalho e na Justiça do Trabalho.

Depois de denúncia formulada pela Transilva Logística, transportadora com sede em Vitória-ES, feita ao então ministro da Justiça Alexandre de Moraes, Polícia Federal, Gaeco e Cade deflagraram a Operação Pacto. Em 17 de outubro de 2019, dezenas de policiais federais vasculharam escritórios da Tegma Gestão Logística, de transportadoras do grupo Sada em São Bernardo do Campo (SP) e Betim (MG) e da Transcar, na Bahia. A sede do Sintraveic-ES também foi alvo da operação. Todo o material apreendido ainda se encontra em análise dos técnicos do Cade.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Justiça capixaba nega liminar a transportadora bloqueada pela Tegma e Sintraveic, dois alvos da Operação Pacto"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    POIS É, MEUS AMIGOS QUE SEMPRE ACOMPANHAM ESSAS MATÉRIAS LÍCITAS DESSE PORTAL MAGNÍFICO.
    UMA TRANSPORTADORA QUE SE PRESTA A FAZER PARTE DESSE CARTEL CRIMINOSO, TEM QUE SEGUIR AS ORDENS DE SEUS COMANDANTES, NÃO É MESMO?
    DESSA FORMA, JÁ QUE FAZ PARTE DA ENTIDADE, TERIA SIM QUE CUMPRIR SUAS DETERMINAÇÕES.
    PARA NÃO FAZERE ISSO, DEVERIA RECUAR E SE DESLIGAR DA ENTIDADE CRIMINOSA.
    AGORA É TARDE.
    TODAS AS DEMAIS EMPRESAS VINCULADAS, QUE DOMINAM O MERCADO, CONTRA AS DETERMINAÇÕES CONSTITUCIONAIS, DEVERIAM SER DEVIDAMENTE PUNIDAS, COM AS CAÇASSÕES DE SEUS RESPECTIVOS ALVARÁS DE FUNCIONAMENTOS. AS LEIS DEVEM SER CUMPRIDAS, INTEGRALMENTE! DOA A QUEM DOER E, O CARTEL TAMBÉM DEVERIA SER BANIDO DESSE NOSSO PAÍS, DA MESMA FORMA QUE SEUS SINDICATOS, QUE ATUAM DE FORMA ILÍCITA, ONDE O “BRAÇO FORTE” DO MESMO, SEMPRE SE INTITULOU COMO “SINDICATO NACIONAL”, DE FORMA ABUSIVA E INCONSTITUCIONAL.
    CUMPRAM-SE AS SEIS” SIMPLES ASSIM!

Os comentários estão encerrados