Justiça gaúcha pode bloquear canal do programa Fala Bahia News no Youtube

Pela quinta vez consecutiva, a juíza titular da 2ª Vara Cível da Comarca de Canoas (RS) determinou a imediata retirada do ar de edições do Fala Bahia News, apresentado por Everaldo Dantas. Na mais recente decisão, a magistrada afirmou que poderá bloquear o canal do programa na plataforma Youtube, caso outras matérias sejam levadas ao ar nos mesmos moldes das anteriores. O apresentador de Camaçari, município localizado no interior da Bahia, tornou-se porta-voz de representantes do cartel dos cegonheiros nos ataques à transportadora gaúcha que não integra a organização criminosa que controla o transporte de veículos novos no país.

A medida extrema de proibir novas veiculações de matérias sobre a empresa Transportes Gabardo e seu proprietário, empresário Sérgio Mário Gabardo, rejeitada anteriormente pela juíza Adriana Rosa Morozini, da 2ª Vara Cível da Comarca de Canoas (RS), foi anunciada na última semana do mês passado pela magistrada. Antes ela considerava a medida uma espécie de censura descabida. No entanto, tendo em vista a manutenção dos ataques, ela elevou o tom e determinou que, em caso de reiteração por parte do programa Fala Bahia News, poderá expedir “ordem de bloqueio do seu canal na plataforma Youtube, que vem sendo utilizado unicamente para a divulgação das reproduções controvertidas nestes autos”.

“Sou macho e ativismo judiciário não vai me intimidar”, disse Dantas ao site Livre Concorrência, após tomar conhecimento da decisão judicial, usando memes de deboche. O apresentador do programa Fala Bahia News passou a atacar com mais frequência a empresa gaúcha e seu proprietário após o acordo milionário firmado entre o ex-líder sindical Afonso Rodrigues de Carvalho e o político e empresário Vittorio Medioli, proprietário do grupo Sada. Carvalho foi entrevistado várias vezes por Dantas. Ambos, entrevistado e entrevistador, dividem o mesmo advogado.

Uma série de cinco programas foram levados ao ar, com críticas e acusações que extrapolam o direito de informar, segundo as decisões anteriores da mesma magistrada. Todos foram retirados do ar por ordem judicial. Dantas apresentou recurso no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, que manteve as decisões de 1º grau. Por meio do aplicativo WhatsApp, ele aproveitou para anunciar que novas matérias serão publicadas. “Não vou parar”, afirmou, apesar de ter conhecimento da íntegra da decisão da Justiça gaúcha.

Na decisão datada de 23 de julho, que o site Livre Concorrência só teve acesso recentemente, a juíza argumenta:

“Verifica-se que os demandantes [Transportes Gabardo e Sérgio Mário Gabardo] noticiam, que pela quinta oportunidade nestes autos, houve a divulgação de novo vídeo pelo réu [Everaldo Dantas], nos mesmos moldes das publicações anteriormente analisadas. Conforme se verifica do exame do aludido vídeo, a reprodução consiste em nova entrevista conduzida pelo réu, com reiteração da imputação de fatos delituosos aos autores, dentro do contexto delineado nos autos.”

A magistrada acrescentou:

“Reportando-me aos fundamentos já lançados nas decisões antes proferidas, determino a expedição de novo ofício ao Youtube Google Brazil Internet, para a imediata suspensão da reprodução do vídeo indicado com o título Exclusivo – Martelinho de ouro conta como reformava carros da Caoa transportados pela Gabardo”.

A titular da 2ª Vara Cível da Comarca de Canoas renovou a fixação de multa de R$ 1.000,00 por dia, no caso de descumprimento da ordem judicial, limitado o seu cômputo a 30 dias, contados a partir de quando ficar caracterizado o inadimplemento da medida, pela empresa destinatária da ordem.

No último parágrafo da decisão, Adriana Morozini sentencia:

“Por fim, diante da reiteração da conduta do demandado, intime-se o réu [Everaldo Dantas] de forma pessoal, acerca da presente decisão, ficando advertido a obstar divulgação de novos vídeos, nos mesmos moldes daqueles já apreciados, sob pena de ordem de bloqueio do seu canal na plataforma Youtube, que vem sendo utilizado unicamente para a divulgação das reproduções controvertidas nestes autos”.

Nota da Redação
O site Livre Concorrência mantém a posição de ser defensor incondicional do livre direito à informação e da liberdade de imprensa, sempre respeitando todos os limites e ditames estabelecidos pela legislação vigente, cabendo ao Poder Judiciário delimitar os eventuais excessos.

Leia mais

TJ gaúcho mantém programas do Fala Bahia News suspensos e juíza manda tirar do ar mais duas edições

Justiça manda filho de empresário que aderiu ao cartel apagar postagens difamatórias em redes sociais

Justiça gaúcha manda Youtube retirar do ar duas edições do programa Fala Bahia News

Youtube cumpre decisão e retira do ar edições do programa “Fala Bahia News”

Youtube cumpre nova decisão e retira do ar terceira edição do “Fala Bahia News”

Promotor manifesta-se pelo prosseguimento de queixa-crime contra o filho de Afonso Rodrigues de Carvalho

Empresa gaúcha protocola notícia-crime contra ex-sindicalista que denunciou cartel dos cegonheiros por mais de 20 anos

TJ gaúcho mantém decisão que proíbe ex-líder sindical de disseminar ofensas

Descumprimento de ordem judicial eleva em 15 vezes aplicação de multa a ex-líder sindical

Depois do filho Richard, Carvalho também é obrigado pela Justiça a apagar postagens ofensivas contra empresário gaúcho

ANTV BID da Volkswagen Cade Combate aos cartéis Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de valores Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Justiça gaúcha pode bloquear canal do programa Fala Bahia News no Youtube"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    POIS É MEUS NOBRES AMIGOS, QUE SEMPRE ACOMPANHAM ESSAS BRILHANTES MATÉRIAS.
    COMO PODEM TAIS RÉUS, CONTINUAREM A DENEGRIR A IMAGEM DE UM CIDADÃO COMO O SR. SÉRGIO GABARDO?
    ESSE PROGRAMA DEVERIA SER RETIRADO DO AR, IMEDIATAMENTE, E AS MULTAS POR INSISTÊNCIAS DO DESQUALIFICADO ENTREVISTADOR, POR SE CONSIDERAR; “MACHO”, PARA UMA JUÍZA DE DIREITO, AFRONTA TOTALMENTE A JURISPRUDÊNCIA.
    DESSA FORMA, ELE DEVERIA SER SUMARIAMENTE É PRESO, TAMBÉM, JUNTAMENTE COM O ENTREVISTADO (AMBOS CORRUPTOS)!
    PONTO FINAL PARA ELES!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos Relacionados